30 de ago de 2011

UNIMED - Idade Interior

Todo mundo sabe que a idade da certidão de nascimento muitas vezes não condiz nadinha com a idade do nosso organismo. Sabemos também que uma pessoa de 50 anos pode muito bem dar de 10 a 0 numa outra de 25 anos. E isso acontece simplesmente porque não temos hábitos saudáveis. Fuçando na net, encontrei um site muito divertido e interativo idealizado pela UNIMED que nos ajuda a descobrir a nossa verdadeira idade interior.

Depois passem aqui para me dizer, se tiverem coragem! kkkk Gostaria de saber a sua idade cronológica e a interior; mas se for muito difícil pra você expôr esta informação aqui (rs), me contentarei com apenas a diferença de idade, se foi para mais ou para menos! Vamos lá, clique aqui.


Arlindo é o nome deste bebê de 50 anos de idade! Ele se cuida tão bem que tem até cara de neném. A propósito, não contem pra ninguém, mas tenho 35 anos e a minha idade interior é 47!! Aff..... preciso me mexer.

ps.: a primeira postagem do blog 'E Se Fosse.Com Você' foi liberada hoje, para acessá-la clique: Se você fosse a minha sogra, o que faria?

28 de ago de 2011

Saudade do marido + visita da minha família

Olá a todos! Antes de começar o post de hoje quero deixar aqui o meu muito obrigada por cada um de vocês que está apoiando o meu mais novo projeto, o blog E Se Fosse.Com Você?. Ainda não recebi nenhum e-mail, mas não tem problema, quero que as coisas por lá aconteçam naturalmente, tudo no seu tempo.

Bom, hoje vim aqui para contar o quanto foi dolorida a saudade que senti do meu marido por 17 dias. Há alguns dias escrevi aqui que consigo levar numa boa a questão das viagens dele a trabalho, que os homens de maneira geral não precisam viajar para nos trair, que ao invés de ficarmos lamentando a sua ausência deveríamos nos arrumar, curtir esse momento sozinhas e nos preparar para o seu retorno, etc etc.......

Mas hoje eu sinto que escrevi tudo aquilo com muita facilidade e cabeça aberta porque ele não tinha se ausentado tantos dias!!! Sentir saudade 2 ou 3 dias é uma coisa, mas 17 são outros quinhentos!! E tiro o meu chapéu para mulheres como a Valéria que contou que por 10 anos teve seu marido viajando a trabalho, a Debys que é casada há 17 anos e há pouco tempo começou a ter que lidar com o fato do seu marido ter que se ausentar por 120 dias a trabalho; e quando ele volta fica 15 dias com a família. Pelo visto ela tira de letra apesar da saudade, por isso meus aplausos. Tem também o exemplo da querida e conhecida da blogosfera Otilinha que passou muitos anos do seu casamento passando pelas provações da saudade.

Enfim, tiro meu chapéu para as milhares de mulheres do mundo inteiro que passam por esta situação.
No meu caso, o problema não está na desconfiança, está na simples e torturante saudade. É claro que sempre acaba batendo aquela insegurança chata de vez enquando, principalmente quando estou em casa sem fazer nada, mas logo condiciono a minha cabeça a relembrar os nossos momentos juntos e a segurança volta.

Achei bacana a solução que a Thaís encontrou para esse eventual probleminha que costuma surgir após o casamento: viagens a trabalho. Em um de seus comentários aqui no blog, ela escreveu:
"Antes mesmo de nos casarmos, conversamos sobre isso e estipulamos um ideal de vida no campo, onde tenhamos tempo um para o outro, tempo para o nosso filho um dia, ou seja, este tipo de trabalho (que exige viagens) não está nos nossos planos, e por conta disso, eu mesma já recusei propostas de emprego quando estava desempregada."

Citei algumas amigas blogueiras que já passaram por este dilema para que outras pessoas com o mesmo problema possam entrar em contato e trocarem experiências. Afinal, a blogosfera serve para isso também.

Bom, esses 17 dias não foram nada fáceis, a gente se falava todos os dias a noite pelo telefone e trocava várias mensagens! Então pensei: vou fazer alguns mimos para quando ele chegar em casa compensar a nossa saudade.

Fiz bolo, salada de maionese com batatas, comprei um mimo de chocolate, etc... Ah, ele trouxe pra mim um bracelete comprado na cidade de Itararé-PR. Bacana né? Tá tudo na foto que montei aqui pra vocês:


Espero que a próxima viagem dele demore a chegar! rs... Graças a Deus que no meio desse dilema todo recebi minha mãe e a minha irmã aqui em casa! Não foi nada planejado, mas elas chegaram na hora exata! Adorei meus amores e obrigada por tudo! Pelos presentinhos, pelas conversas, risadas e conselhos de mãe!!


eu e a minha irmãzinha no shop´s cent´s

eu e minha mãe

só matando a saudade!

porque será que a gente tem mania de receber todo mundo com comida?? kkk (bolo de chocolate com cobertura de chocolate e como se não bastasse, muito granulado! rs)

17 de ago de 2011

Anorexia sexual

Hoje vou abordar um assunto muito importante que vai chamar a atenção dos leitores que, mesmo sendo felizes no seu casamento (ou em qualquer outro tipo de relacionamento a dois), já passaram pela fase de se desinteressar pelo sexo.



Imagina que loucura você se dar conta de que não tem mais vontade de fazer sexo com quem você ama. Você sabe que ama seu companheiro, sabe que o amor ainda existe e que perderia o chão se algo abalasse a sua união, massss... sexo que é bom, nada. E como é difícil assumir que o apetite sexual diminuiu ou acabou, um dos dois coloca a culpa na correria do dia-a-dia.

Você começa a ir para a cama mais cedo para dormir antes do seu marido (ou fingir que dormiu) ou se deitar mais tarde para que uma possível transa não aconteça, sempre dando alguma desculpa. Tudo muito sutil. Sempre rola uma desculpa, uma dorzinha de cabeça.... até que o sexo não rola mais e você também não sente falta nem vontade.

E aí? O que fazer? O que pensar quando você se dá conta de que simplesmente não sente vontade de transar com o seu marido ou sua esposa, sendo que vocês se amam muito?! Loucura.

Fiquem atentos porque estes podem ser alguns dos possíveis sintomas da anorexia sexual. Isso mesmo, anorexia. Eu também não conhecia esse termo, mas assistindo ao Discovery H&H eu e o meu marido passamos a conhecer a existência desta doença através do relato de um casal americano que passou por este problema. Depois de conversarem sobre o assunto em casa, o casal entrevistado decidiu procurar ajuda profissional e o marido foi diagnosticado com anorexia sexual.

Anorexia = Perda de apetite
Anorexia sexual = Perda do desejo sexual pela pessoa do sexo oposto ou pelo mesmo sexo.

Eu e o meu marido costumamos nos interessar por essas novas descobertas da psicologia. Não temos a prepotência de achar que 'comigo isso nunca vai acontecer'. Isso e muitas outras doenças podem bater à porta de qualquer um. Então, quanto mais informação, melhor.

O que me assusta é que muita gente deve sentir esta falta de apetite sexual e sequer sabe que essa doença existe. Repito: ninguém quer admitir que não tem vontade de transar, então quando o desejo some, culpados surgem: idade avançada, rotina no casamento, falta de tempo, etc.

A pessoa que sofre desse tipo de anorexia não sofre tanto porque não sabe que se trata de uma doença e continua pensando que é uma fase ou que é normal perder o desejo, no entanto, quem acaba sofrendo mesmo é o seu parceiro que começa a sentir diferença na vida sexual do casal, falta de atenção e carinho e, por mais que se esforce, o parceiro não consegue estimular o outro e o sexo nunca acontece. Isso pode ser entendido como falta de amor, o que não é.

Tudo isso é sério e muito triste. No caso de pessoas menos esclarecidas, que não procuram ajuda psicológica, correm o risco de verem seu casamento desmoronar.

Depressão, stress e, inclusive traumas de infância, podem desencadear anorexia sexual. Quem sofre com esses sintomas deve procurar um ginecologista ou urologista e um psicólogo para resolver o problema.

13 de ago de 2011

O blog que virou programa de tv!

Gente!!! Hoje eu tô super ansiosa pra mostrar um vídeo pra vocês, no qual fiz uma participação a convite da jornalista e apresentadora Flávia Mariano, minha xará e autora do blog Depois dos 25, mas antes dos 40.

O blog dela fez (e ainda faz) tanto sucesso que virou programa de televisão chamado DR - Discutindo a Relação. O tema do programa que participei foi "Profissão por Vocação ou por Dinheiro?".
Se vocês tiverem um tempinho, não deixem de visitar o blog dela clicando aqui e deixem lá a sua opinião sobre o vídeo. Nós precisamos do seu feedback. Obrigada!



E o mais interessante é que, devido ao fato do programa ter nascido do sucesso do blog, ela conta com a participação massissa dos seus seguidores/leitores. Antes de cada programa ir ao ar, a Flavinha e a sua equipe de produção postam no blog uma prévia do tema para que os leitores possam deixar seus comentários, os quais poderão ser lidos durante o programa. Bacana não?

Flávia Mariano

Os temas são desenvolvidos em cima das postagens mais populares ou polêmicas do blog dela. Olha só o que ela diz:

Sou do Rio de Janeiro e meu objetivo é: Trazer à tona os dilemas desta mulher urbana, que acaba não encontrando tempo para viver a própria vida.
"Sabe aqueles Dilemas Femininos que você não sabe onde perguntar? Eu pergunto por você! Flavia Mariano, Jornalista, Escritora e Apresentadora, especializada no doce e corrido Universo Feminino."


Escritora, Jornalista, pós-graduada em Jornalismo Literário, 30 países visitados e agora apresentadora! Livros publicados: clique aqui.



Tem também a participação de profissionais da área de saúde como psicólogos que embasam bem o debate feminino. O programa é conduzido pela Flávia Mariano e mais duas convidadas especiais: a Raquel Guerra e a Karol Biajoli.

~~~~~~~~~~~~~


Aaahh! Deixa eu aproveitar o calor da postagem e mostrar pra vocês algumas fotos super meigas que consegui tirar dos meus gatinhos, não é muito cute!!!! Tô apaixonada!!!

Celeste dormindo com a Hello!

Pegando esse negão no flagra! kkk .... bebendo água no meu copo!! rs... dá pra brigar??

Anjinhos das nossas vidas e do nosso lar, só nos dão alegrias! Sempre que eles dormem, a gente cobre com uma das nossas blusas! São mimados?? Acho que nem um pouco! rs

Vivo pegando o Robinho com a boca na botija. Ops, na caneta! kkk

Primeiro dia do Robinho no jardim, acho que ele estava pensando 'Meu, que é isso??' kkkk

12 de ago de 2011

I Love Lucy


Nossa, como eu adorava assistir 'I Love Lucy'!

A pin up mais engraçada do século! Isso mesmo. A atriz Lucille Ball, que interpretou a personagem Lucy de 1951 a 1960, completaria 100 anos neste mês, agosto. Imaginem se ela não recebeu homenagens!

Considerada a primeira dama da televisão americana e rainha da comédia, Lucille me hipnotizava com as suas trapalhadas sem fim, sempre contracenando com seu esposo (também na vida real) Desi Arnaz.


Assim como a série A Feiticeira e Chaves, I Love Lucy me remete a uma época muito bacana da minha vida. Eu tinha uns 10 anos e me lembro que estes 3 seriados eram os únicos programas de tv que me faziam desligar o vídeo game..... tá bom vai..... atari! rsrs... É gente, sou da geração 'Enduro', 'Pac Man', etc. Que época gostosa.

De vez enquando é bom ligar a máquina do tempo e relembrar tantas coisas legais, que se tornam mais especiais ainda depois que passam a não mais existir. Uma vez escrevi aqui no blog sobre a época em que eu colecionava papéis de carta. Foi um post muito especial porque quando essas lembranças vêm à tona, várias outras as acompanham, como por exemplo, as nossas coleguinhas da época que também curtiam, a nossa professora primária, amores platônicos, etc...

Para mim é um prazer falar de Lucy ou Lucille, não só pelo seu talento para o humor, mas pela beleza. Aquela feminilidade de época, tudo muito natural. Nos dias de hoje as mulheres têm que se transformar em pin ups, no entanto na época Lucy as mulheres eram pin ups.




Coisinhas sobre o 'I Love Lucy' que encontrei no Google:

- o programa era gravado em película ao vivo, em frente a um público (por isso as risadas de fundo), com três câmeras fixas no cenário;

- o esposo de Lucille era seu marido também na vida real e sua presença foi uma imposição da atriz para salvar o casamento, oi???;

- Durante "I love Lucy", ela e o maridão Arnaz criaram a Desilu Productions para ajudar na produção da série. A empresa cresceu e se tornou a responsável por produções como "Os intocáveis”, "Star Trek” e “Missão: Impossível”. Em 1967 o estúdio foi vendido para a Paramount;

- "I love Lucy" foi o programa mais visto nos Estados Unidos durante os seus quatro primeiros anos;

- O programa recebeu 22 indicações aos prêmios Emmy, tendo vencido cinco vezes;

- Pelo fato do marido de Lucy ser cubano e ter sotaque muito carregado, os investidores não queriam que ele estrelasse a série com ela, então fizeram um 'teste' lançando um musical com os casal antes das gravações da série. Como deu certo e fez sucesso, então foi permitida a participação dele.




Lucille Ball foi a penúltima pessoa do elenco original do programa a falecer, em 26 de Abril de 1989. Foi justamente nesta época que comecei a virar fã do programa e ela já tinha morrido. Nós crianças nem pensamos nessas coisas, só curtimos e achamos que os atores eram daquele jeito, jovens. rs - Fonte: Wikipedia e G1


Vamos matar a saudade?

10 de ago de 2011

Nossa viagem à Florença/Firenze

Olá, tudo bem?
Quando eu e o meu marido viajamos para a Itália em Abril, fotografamos tantas coisas que achei melhor dar um tempo nas postagens sobre a viagem no blog para não ficar uma coisa enjoativa. E como nós ainda temos muitas fotos legais, resolvi postar algumas hoje após me inspirar em dois blogs que visitei agora:
o da Carla Pinheiro que está mostrando como foi a sua viagem em família para a Disney Orlando;
o da Débora Appelros que acabou de postar sobre a Croácia; e
o da Maitê falando sobre Paris, aiaiai como é bom viajar!

Então... bem vindos a Firenze (ou Florença)!
Acompanhem o nosso passeio através das legendas nas fotos.


A caminho de Firenze com meu maridão a bordo do EuroStar

O interior do trem é lindo! Este espaço é reservado para um delicioso capuccino


Eu e o nosso mapa, inseparáveis

Aí dentro tem de tudo que vocês podem imaginar. Até agora não conheci nenhum camelódromo tão elegante como esse.


É claro que em Firenze tem muitos pontos lindíssimos, mas a todo instante nos mantínhamos ansiosos para conhecer a tão famosa Ponte Vecchio. Chegamos! Essa 'placona' que coloquei na foto é a ampliação da placa que está fixada na parede atrás de mim.

Rio Arno - é sobre ele que está a Ponte Velha ou Ponte Vecchio, que foi construída em 1333
Aqui estamos sobre a Ponte Vecchio, famosa por ter uma quantidade absurda de joalherias!

Vi jóias de todos os tipos, tamanhos e valores! Obs.: Ainda bem que o que domina nesta ponte são jóias e não sapatos (rs...) senão meu marido ia ficar no prejuízo! kkk

Ponte Vecchio vista de fora (estas janelas são os fundos de cada joalheria da ponte)

Vocês não imaginam como foi complicado tirar uma foto assim sozinhos. Este local estava completamente cheio e tumultuado de turistas. Mas foi mágico do mesmo jeito!

De cima da ponte tínhamos esta visão. Feia né? Já imaginei na hora: eu dona de um apartamento ali no meio daqueles... imagina acordar com esta paisagem?

Achei muito legal a forma como os sorvetes são colocados na vitrine. Demorei uns 2 dias para descobrir que 'fragola' significa morango! kkk

Olha aí o bendito fragola (rosa) rs


Dentro da loja da Ferrari apontando para o painel do Felipe Massa

Uma super pizza com coca zero, é claro! kkkkk (lanchinho típico italiano para antes de voltarmos para Roma) 

Na estação de trem

Hotel onde nos hospedamosem Roma - que delícia chegar na suíte, tirar os sapatos, tomar um banho e se jogar na cama! O passeio foi maravilhoso, mas cansa demais!


Um pouco de história: Acredita-se que a ponte vecchio tenha sido construída ainda na Roma Antiga e era feita originalmente de madeira. Foi destruída pelas cheias de 1333 e reconstruída em 1345. Desde sempre alberga lojas e mercadores, que mostravam as mercadorias sobre bancas, sempre com a autorização do Bargello, a autoridade municipal de então. Durante a Segunda Guerra Mundial, a ponte não foi danificada pelos alemães. Acredita-se que tenha sido uma ordem direta de Hitler.


Clicando aqui vocês terão acesso às postagens anteriores sobre a nossa viagem à Roma (Fontana di Trevi, Coliseu, Vaticano, etc).

9 de ago de 2011

Francesinhas descomplicadas - French Manucure da Bourjois

Isso mesmo meninas! Quem aqui não curte pintar as unhas a la francesinha de vez enquando? Enquanto temos alguém para fazer na gente tudo bem. Mas, e quando temos que nos virar em casa? Aí a coisa complica! rs... A mão começa a tremer, não temos coordenação motora na mão esquerda pra pintar a direita e as francesinhas ficam completamente meio tortinhas. Então enlouqueci na loja quando vi esse esmalte da linha French Manucure da Bourjois (lê-se Borjoá) que veio pra facilitar mesmo a nossa vida!

O pincel vem cortado exatamente no formato da unha, independente de você gosta das suas unhas redondas ou quadradas! Fica perfeito e é rapidinho pra ficar com unhas de salão de beleza.



Embora não tenha postado uma foto com as unhas francesinhas, eu já experimentei e posso atestar aqui que é prático mesmo! Esse vidrinho eu comprei no Japão. Acho que o próximo terei que comprar pela internet não é? Aproveitando, postei algumas cores da Colorama, Risque e Impala que comprei nesses últimos dias.

Tô em casa coçando mesmo, então dá-lhe fazer as unhas! kkk

Nunca Fui Santa - Cenário Perfeito - Audrey da Impala

Garota Verão - Melancia - Noite Quente - Chic Pele - Militar
Essa foi uma das combinações que fiz: Esmalte Impala 'Audrey' (2 demão) + francesinha Risqué 'Cenário Perfeito'

6 de ago de 2011

Consegui tirar minha carta!

Até iniciar as minhas aulas de volante na autoescola, eu achava imprudente alguém dirigir sem habilitação por aí, agora acho insano, irresponsável e inconsequente. Usei esses 3 termos, mas ainda acho pouco e digo tudo isso porque HOJE eu sei o quanto é difícil dirigir. Explico.

Só diz que é fácil dirigir um carro quem já automatizou todos os comandos.
Porém, até que uma novata como eu chegue neste nível, tenho consciência de que sairei pelas ruas durante um bom tempo sem estar automatizada. Isso significa que a minha atenção deverá ser redobrada.

Mesmo estudando uma apostila de 158 páginas para passar na prova teórica do Detran (tirei 9,0 na avaliação) e fazendo 26 aulas práticas (totalizando 1.300 minutos ou 21 horas), eu ainda me sinto um pouco insegura para pegar um trânsito. O que dizer então de um indivíduo que pega um veículo sem estudar nem treinar nada! Ahhh, estou falando besteira gente!!! Este indivíduo treina sim! Com um amigo, com o pai ou com, pasmem, a própria mãe. Aff!! Não dá para saber quem é mais sem noção. Bom, mas como cada um cuida da sua vida, então deixa eu voltar a falar da minha.

Eu fiz o exame teórico e passei de primeira. (palmas!!!)
Logo depois da 26a. aula fiz o prático e passei de primeira. (palmas!!!)
Eu estava tão nervosa! Comecei pela baliza, deu tudo certo e até fui elogiada pelo examinador! (eeee!!)
Tomê gente! Tomeachando! kkk

Agora vem a parte engraçada. Na hora do exame prático (depois da baliza) este foi o único diálogo entre mim e o examinador:
"Esta é primeira vez que você faz o exame?", perguntou o cara.
"É sim, porque?"
"Porque você não está respirando! Eu queria saber se nas suas aulas vocês também prendia a respiração assim, estou ficando preocupado!", ele disse isso rindo junto com todos do carro! kkkkk
Mas é verdade gente, eu mal respirava, nem piscava!!! kkkk


Mas é isso aí, apesar de todo o esforço, ansiedade e nervosismo, sinto que ultrapassei mais uma etapa. Tirar carta foi mais um item que risquei da minha lista de prioridades de quando voltasse ao Brasil. Agora falta arranjar um emprego bacana, comprar meu poisé e voltar a estudar! Vambora correr atrás dos nossos planos?

3 de ago de 2011

Meu dilema dentro da loja de cosméticos

Olá meninas, hoje o assunto é de mulherzinha!
Bom, o que aconteceu foi o seguinte: fui a uma loja de cosméticos, daquelas que tem de tudo que vocês possam imaginar e decidi que compraria coisinhas úteis (só o que realmente precisava) e de acordo com a minha atual condição: desempregada.

Confesso que a tentação foi forte, eram tantas marcas maravilhosas, rótulos coloridos e novidades!
Tinha tudo pra tudo, desde o dedão do pé até os fios do cabelo!
Fiquei maravilhada, afinal lá no Japão era muito difícil ter acesso aos produtos brasileiros, ou as lojas não tinham determinados produtos, ou quando tinham enfiavam a faca.
Eu parecia uma criança em loja de doces! Imaginem. rs

Só que depois de tanto pesquisar preço lá dentro, fiquei num dilema: desde sempre aprendemos que os produtos mais caros (ou as marcas mais conhecidas) são os mais eficientes, como por exemplo: Wella, AlfaParf, Phitoervas, Payot, Kerastase, Victorias Secret, Natura, etc.
Mas, eu não podia comprar essas marcas que eram as mais caras e tive que optar pelas menos (ou nada) conhecidas que eram as mais baratas (óbvio).

E fiquei pensando: será que esses produtos mais baratos são bons?
Será que vale economizar?
Se o produto é bom, porque é barato?
Enquanto colocava os produtos na cestinha, eu pensava se valia a pena eu gastar pouco levando marcas desconhecidas querendo economizar, pois mesmo gastando pouco, isso é gastar do mesmo jeito.
E os resultados, seriam os mesmos?

Estou me perguntando tudo isso porque enquanto eu escolhia os mais baratos, eu pensava:
"Vou deixar pra comprar esse mais caro só depois que eu começar a trabalhar, aí posso comprar sem preocupação".

Porém, logo em seguida eu também pensava:
"Não é só porque eu vou estar trabalhando que vou gastar a toa. Eu poderia sempre adquirir os mais baratos mesmo trabalhando, economizar e gastar com outras coisas ou fazer uma poupança, sei lá".

O que vocês acham? Ou melhor, o que vocês acham dos produtos baratos?
A qualidade é inferior mesmo?
Dêem uma olhada nas fotos dos produtos que escolhi. Mesmo não conhecendo as marcas, adorei o cheiro:

Marcas que eu desconheço: Vita Charm (creme que protege o cabelo contra o calor da escova) e Studio Hair (creme sem enxágue para os dias que eu não fizer escova)

Marcas: Indafarma (desconheço) e Mundial (conheço como marca de alicates, isso me deu mais confiança) - ambos para os pés

Quanto aos shampoos, tenho uma história:
Em 2001 trabalhei no Jacques Janine como recepcionista e, conversando com um dos cabeleireiros, perguntei se o preço e a marca dos shampoos interferiam na qualidade da ação nos cabelos, se valia a pena pagar até cem reais num shampoo. Ele respondeu que a marca não importa, desde que eu compre o shampoo e o condicionador corretos para o meu tipo de cabelo. Disse que eu poderia pagar mil reais pelo melhor shampoo, mas que ele não faria efeito nenhum se fosse inadequado para mim.


Agora, quanto aos cremes, acho que rola um certo preconceito sim com as novas desconhecidas marcas porque não senti nada disso quando comprei esses produtos de marca bem famosa:

Linha Victoria´s Secret: Berry Kiss Summer e Very Sexy Now são cremes com glitter e o hidratante convencional com aroma Amber Romance
  
Filtro Solar La Roche-Posay, hidratante Natura TodoDia, hidratante O Boticário Lily Essence e perfume Benetton (só uso este ultimamente, muuito bom!)

Além do fator preconceito que percebi em mim dentro da loja, pensei nos valores que adquirimos com o que a mídia tenta nos passar. Se de repente olhamos torto para as marcas mais baratas ou se as adquirimos com uma certa desconfiança, também significa que são marcas que deveriam apostar mais em propagandas, em divulgação, seja ela qual fosse: revistas, outdoors, promoções, comerciais, etc.

Por outro lado, se apostam na divulgação pesada, são obrigadas a encarecer o produto. Complicado.
Também acontece da gente não conhecer a marca por falta de se informar direito né.

Quando compro roupas ou sapatos, não faço questão de marca famosa. O fator decisivo para mim é cair bem e o conforto. Mas, quando tenho que comprar algo que vou aplicar diretamente na PELE, aí já sou meio cismada (cremes, perfumes, etc), principalmente se for para o rosto. Fico muito insegura de levar o mais barato.

Bom, mas voltando ao dilema, vocês já pensaram assim como eu na hora de comprar o mais barato? (referente aos cosméticos especificamente)