27 de mar de 2011

Comunicado

Olá queridas e queridos que sempre estão por aqui compartilhando suas idéias!! Por um ótimo motivo estarei me ausentando na blogosfera cada vez mais a partir de hoje, pois a data da nossa partida está se aproximando e a partir desta segunda-feira, dia 28, já estaremos sem internet e telefone fixo. Infelizmente não tive como retribuir tooooodos os comentários e algumas visitas de novos seguidores que recebi por esses últimos dias, mas quero que saibam em breve voltarei a blogar com força total!! Vai demorar um pouco, sentirei muitas saudades, mas conto com vocês quando eu voltar para contar cada detalhe. Esporadicamente entrarei no blog para acompanhar o "movimento" rs... e também vou dar um jeitinho de postar aqui o nome da ganhadora do esmalte do sorteio de aniversário do blog tá? Hum.... quem será que vai ganhar????? rs... Torçam por nós! Eu e o meu marido estamos muito felizes com a aproximação desta nova etapa que promete muitas novidades em nossas vidas. Um beijo com muito carinho e até breve!

25 de mar de 2011

Saiba pedir e realize seus desejos

No ano retrasado assisti ao filme "O Segredo" que apresenta o universo como o responsável pela realização de nossas aspirações, através da lei da atração. Ensina que cada pessoa é responsável pelo alcance de seus objetivos e que para as coisas acontecerem é fundamental ter expectativa e ser grato ao universo. Ensina que agradecer antecipadamente por aquilo que quer turbina seus desejos e envia ao universo um sinal mais poderoso, e que é necessário visualizar seu objeto de desejo na mente e desfrutar na mente o que se quer. Assim, o impossível acontecerá.

Bom, até aí tudo bem, mas além de mentalizar e desfrutar daquilo que está na sua mente para que tudo se materialize e vire realidade também levamos em consideração o poder das palavras. Vejam só algumas "fichas" que caíram pra mim:

Eu e o meu marido nos damos muitíssimo bem, gostamos das mesmas coisas, temos projetos e vida profissional em comum, enfim, nos amamos e somos felizes e, devido a tanto amor, diante de qualquer dificuldade que apareça, sempre dizemos o seguinte: "Tudo bem, para isso (problema) damos um jeito. O que importa é que estamos juntos".

Como pronunciamos esta frase constantemente, começou a virar rotina e sempre repetimos isso diante de qualquer obstáculo em nossas vidas, dos mais simples do dia-a-dia aos mais complexos, que nos exigem mais raciocínio. Até aí tudo bem, nada de extraordinário.

O fato é que um dia, do nada, "caiu uma ficha" pra mim e comentei com meu marido: "Mô, você já parou para pensar que as coisas desagradáveis, as decepções ou até os imprevistos que acontecem nas nossas vidas nunca são relacionados ao nosso casamento, relacionamento, sentimento, saúde, etc.; e sim só ocorrem em relação a outras coisas como dinheiro ou negócios? É como se o universo ou algo superior e muito maior que a gente protegesse a nossa vida pessoal de qualquer mal porque sempre pronunciamos a mesma coisa: "O que importa é que estamos juntos", "O que importa é que estamos juntos", "O que importa é que estamos juntos", "O que importa é que estamos juntos".....

Carinhosamente, meu marido usou uma pitada de ironia e comédia e respondeu rindo: "É verdade! Faz sentido! Então, a partir de hoje vamos mudar a nossa frase para: "Tudo bem, para isso (problema) damos um jeito. O que importa é que estamos juntos e brevemente seremos muito ricos!!" rs. Quem sabe assim o universo começa a retribuir essas palavras??

Claro que deixando a brincadeira de lado, estou falando sobre uma coisa muito séria, na qual acredito piamente. Fale, repita, peça ao mundo, peça a Deus, enfim, diga ou implore a quem você confia e acredita! Tudo acontecerá.

Na verdade, este texto foi escrito no ano passado e decidi reeditá-lo e postá-lo hoje porque o fato de dizer "O que importa é que estamos juntos" nos protege até hoje. O nosso relacionamento se mantém intacto até hoje, após tantos anos juntos. Claro que o sucesso da nossa união deve-se a outros fatores, mas acreditamos sim que as palavras têm poder!!

Outro caso que aconteceu comigo foi: após me decepcionar com um amigo, falei para mim mesma num momento de raiva e com muita convicção: "Só o perdoarei um dia se ele vier na minha frente pedindo perdão com todas as letras!!!!". Apenas disse e dias depois esqueci. Não é que mais de um ano depois ele veio na minha casa com um presente de Natal nas mãos e pediu perdão com lágrimas nos olhos? Essa iniciativa e atitude me deixaram orgulhosa em tê-lo como amigo novamente na minha vida. Vi sinceridade nos seus olhos e hoje posso pensar nele e não sentir mais nada de ruim. Acho que no fundo, sem perceber, esperava por isso, afinal quem é que gosta de perder um colega ou amigo?

Outra situação em que fiz um pedido com muita vontade e certeza foi há uns 10 anos. Eu estava no Brasil trabalhando em uma loja e me sentia muito insatisfeita com a minha vida, rotina, amigos, enfim, queria mudar de vida. Falei desesperadamente: "Eu quero mudar de vida!! Não aguento mais do jeito que está! Preciso de estímulos novos, novidades!!!" Porém, naquele momento não tinha nenhuma idéia de que isso poderia acontecer e em menos de 3 meses a minha vida mudou radicalmente. Recebi um convite inesperado para vir ao Japão, terminei meu namoro (por conta da distância) com um rapaz que namorava naquela época, conheci meu marido, em seis meses nos casamos, fiz novas amizades, conheci lugares que antes só ouvia falar e trabalhei em um canal de televisão no Japão e realizei muitas outras coisas. E aí?? Meu pedido foi atendido ou não?? rs

Estão vendo? Relatei aqui 3 acontecimentos da minha vida que senti que aconteceram por causa das palavras que saíram da minha boca com muita determinação e fé. Tente o mesmo, mas cuidado com o que vai dizer ou pedir ao universo hein! Ele pode te atender!



"Tenha certeza de que em algum lugar especial 
seu pedido foi ouvido, anotado, preparado e
começa a tomar forma nesse instante."




Quero agradecer a querida blogueira e amiga Paula Li do Blog Certas Coisas pela iniciativa em lançar um carinhoso concurso onde vários blogueiros estão concorrendo ao Oscar (de melhor blog, de melhor blogueiro e de melhor blogueiro coadjuvante). Bjs! Vamos ver quem leva a estatueta luxuosa?! Ah! E obrigada Paulinha por me incentivar a repostar este texto!! Bjs

23 de mar de 2011

Conselheiros Virtuais, o que vocês acham?

Olá a todos!! Hoje tive uma idéia e queria saber o que vocês acham.
Ultimamente venho recebendo alguns e-mails de pessoas que não conheço me pedindo certos conselhos para assuntos pessoais delas próprias.
Geralmente são assuntos relacionados ao coração e elas me encontram através do blog.
Respondo numa boa, escrevo o que penso sobre o assunto de um modo geral, mas evito dizer o que a pessoa deve fazer, afinal é de uma responsabilidade muito grande a gente aconselhar alguém e não saber o limite do que escrever.
Muitas vezes tive vontade (apenas vontade) de publicar alguns e-mails aqui no blog porque tinha certeza que alguém mais poderia estar passando por aquela mesma situação e que, desta forma, poderia contribuir com alguma opinião a respeito ou se identificar e ver que não é só a gente que passa por isso ou aquilo outro.
Então fiquei pensando e tive a idéia de abrir espaço aqui no blog para publicar algumas histórias e que tipo de conselho eu dei, mas não farei com os e-mails que já recebi, eu faria isto com os novos e-mails que chegariam.
Se a pessoa autorizar, a sua história seria publicada na íntegra sem nenhuma alteração (divulgando somente seu primeiro nome, exemplo: Luciana) para que todos os seguidores pudessem ler também e ajudar com suas opiniões e comentários. Seríamos uma espécie de conselheiros virtuais todos unidos em prol a ajudar alguém que não conhecemos e que nunca saberemos quem é.
Saber o que outras pessoas pensam a respeito de um problema nosso pode nos ajudar a ver a mesma situação sob um ângulo diferente. O que vocês acham? Faz tempo que quero fazer isso, mas estou um pouco receosa.

Por enquanto esta idéia não será posta em prática, vou pensar melhor sobre os comentários e sugestões de vocês, pois algumas opiniões divergem bastante. Beijos e obrigada pelas opiniões.

21 de mar de 2011

Sorteio de aniversário do blog

Esse post é para vocês fiéis e queridíssimas seguidoras que sempre estão por aqui de alguma maneira, lendo ou lendo e comentando (os homens podem participar também tá? Afinal, também compartilham idéias aqui, vocês podem se candidatar para presentear a namorada ou uma amiga).

Seguinte.
Ainda estamos no mês de Março, mês de aniversário do meu blog.
Então pensei em sortear um presente e enviar à ganhadora ou ganhador pelo correio que se tornaria a representante de todas as minhas amigas-seguidoras. Essa foi a minha idéia para retribuir o carinho de vocês aqui no blog!

Eu tenho vontade de enviar um presentinho para cada seguidora que amo de paixão, mas não tenho condições, por este motivo vou presentear uma e elegê-la representante de todas vocês!!

Se o ganhador for homem, já deixa sua companheira avisada para depois eu não apanhar de graça na rua viu?!!! rsrsrs

O presente é um esmalte da linha Le Vernis da Chanel e a cor você escolhe.




Mas lembre-se que o único requisito é ser uma seguidora presente neste blog que sempre está por aqui compartilhando idéias. Tenho meus critérios. Quem começar a seguir o blog a partir de hoje, poderá participar no ano que vem. Por favor não me levem a mal. Mas, este sorteio tem um sentido pessoal pra mim.

O sorteio será no dia 31 de Março de 2011 (acho que vou fazer com papelzinho mesmo).
Seguidoras de qualquer país poderão concorrer.
A ganhadora poderá escolher a cor do esmalte que deseja receber, mas é claro que como todo bom presente, também receberá uma surpresinha, senão ficaria muito sem graça e automático.
Cada seguidora receberá um número para concorrer de acordo com a ordem dos comentários.

Para concorrer, deixe aqui:
- seu nome;
- cidade e país onde mora (depois vou entrar em contato para enviar o mimo);
- nome da cor do esmalte que deseja (pode me dar duas opções de cor e tem que ser da coleção mais recente Le Vernis, veja as cores nesta página da Chanel basta acessar e clicar em "visualizar as cores".);


Um beijo queridas e boa sorte!
Se alguém tiver alguma dúvida escreva pra mim no comentário tá?
p.s.: se vc nunca vem aqui deixe a chance para quem sempre vem! rsrs

19 de mar de 2011

Japão hoje: coisas que não saem na tv


"Vamos embora daqui. Aqui não tem mais nada pra gente"

Ouvir isso da boca de uma pessoa que viveu mais da metade da sua vida aqui no Japão é inaceitável.
Essa infeliz que disse essa barbaridade vive aqui há muitos anos, inclusive fala muito melhor o idioma japonês do que o português. Estudou todos esses anos na escola japonesa e até seu jeito de ser ficou ajaponesado.
Paga impostos, mas também sabe usufruir muito bem deles.
Ela pode sair na rua a qualquer hora do dia que não encontrará violência.
Conta com vários subsídios do governo.
Dizia que não queria ir embora para o Brasil e agora diz isso?
Gente assim tem mais é que ir embora mesmo.
O Japão não precisa de gentinha pequena e ingrata.
Na hora boa todo mundo quer ficar aqui, mas no perrengue o Japão não presta pra mais nada. Oi?

*****

Ontem fui na agência de turismo acertar o que faltava das nossas passagens e, praticamente, não consegui ser atendida direito. A atendente, super simpática, não parava de pedir desculpas e acabou tendo que desligar a linha do seu telefone para me atender (por 5 minutos).

Segundo ela, os brasileiros estão desesperados para voltarem ao Brasil.




O telefone não pára e todas elas estão atendendo até as 22 horas ou meia-noite.

Conversando com a  blogueira Gigi, que também mora aqui no Japão, soube que muitos brasileiros simplesmente trancaram as portas de casa, fizeram as malas e já estão no Brasil!

Em alguns casos é compreensível esta atitude e desespero, como no caso das gestantes ou mulheres que tem filhos próximos a região de Fukushima, região onde está a usina nuclear.
Mas, muitos brasileiros estão agoniados querendo fugir da região onde moro, que quase não foi afetada.
Não sou contra querer ir embora, afinal a família da gente fica desesperada no Brasil e nessa hora é muito natural sentirmos o egoísmo da sobrevivência. Só fico p da vida quando saem falando mal daqui ou quando se desesperam por não conseguirem esperar apenas alguns dias para sair daqui, sendo que os próprios japoneses nem tem esta opção e continuam lá na região nordeste morrendo de frio e angústia.


"Adianta sua ida boba!!!"
Ouvi isso de outra infeliz.
Ninguém noticia essas barbaridades que ouvimos não é mesmo?
Mas eu noticio! rs

Respondi que eu ia embora no dia que havia marcado (marquei há três meses atrás) e que o desespero e a vontade de sair correndo deveria ser substituída pela maturidade para perceber que, mesmo tendo que esperar por alguns dias para embarcar, ainda estamos (nós brasileiros) com vantagem sobre os nossos irmãos japoneses que nem tem esta rota de fuga como nós temos.

Eles não tem como mudar de país e, certamente, se pudessem, acredito que não fariam isso. Não abandonariam sua pátria.
Acredito muito que cada um morre na hora que tem que morrer.
Tá. Você foge daqui e chegando no Brasil leva uma bala na cabeça e morre.
E aí?
Chegou a hora bem!!! Não adianta fugir.

E outra.
Estava vendo na tv alguns depoimentos de pessoas que passaram vivenciaram as tragédias de HiroshimaChernobyl e estão bem até hoje. Estão vivíssimos para contar suas histórias.
E aí?? Quando chega a sua hora não tem jeito amigo. Ninguém escapa.

Seja aqui ou numa bolha.


Acesse o blog do repórter do SBT Fábio Diamante, lá está publicada uma postagem que cita meu esposo, aqui.

18 de mar de 2011

Liberdade, Saudade, Ciúme e o Jogo de Cintura

Ai que chato ficar em casa sozinha...
Sou uma pessoa que gosta de ficar sozinha sim, mas só quando quero e não quando não tenho escolha.
Esse apartamento fica tão grande.
Meu marido não está aqui para ouvir como foi meu dia.
Ele não está aqui para perguntar como foi meu dia.
Nos falamos uma ou duas vezes por dia, mas isso não é suficiente.
Nessas horas queria ser criança para chorar alto e espernear, mas como não sou uma, invento coisas pra fazer.
Penso até nos aposentados que são obrigados a parar de trabalhar e quase enlouquecem de tanto ócio.
Estou acostumada a ficar sempre com meu maridinho do meu lado.
Dormir sem dar as mãos para ele me entristece, mesmo sendo temporário.
Já desisti de jantar sozinha, é super sem graça.
São quase 4 da madrugada e cá estou, eu e o pc. O sono chega, mas me recuso deitar naquela cama gelada e vazia. Resisto até o sono me dominar.

Mas, por mais que eu sinta tanta solidão e saudade, jamais o impeço de usufruir da sua liberdade.
Não sou o tipo de esposa que dita regras, que diz onde o marido pode ir ou não.
Ele não é o meu marido e não tem a obrigação de fazer só o que quero ou o que permito.

Nesse sentido nos respeitamos.
Mas é claro que essa liberdade que nos damos hoje é fruto de uma convivência baseada numa confiança incrível, construída ao longo de anos.
O segredo está em cada um de nós conhecer os nossos limites para não estragar a relação.
Se eu saio com as minhas amigas, sempre aviso onde vou, com quem vou e chego cedo. Não dou motivos para ele colocar minhocas na cabeça e vice-versa.
E essa liberdade é tão sadia e nos deixa tão a vontade que raramente saímos sozinhos, um sem o outro.

Acredito que se eu fosse chicletinha e chata, meu marido teria mais vontade de sair sem mim.
Pelo menos comigo é assim.
Aprendi com ele a não ter paranóias sem motivo.
No comecinho do nosso namoro eu era muito ciumenta, mas observando como ele se demonstrava auto-confiante demais, comecei a reparar que uma pessoa insegura é meio brochante. Comecei a provar para mim mesma que eu me garantia e que se fosse para ele me trair ou me trocar por outra mulher, seria uma perda dele, pois não teria mais minha companhia, meu afeto, minha atenção e dedicação.
Ser uma mulher confiante e segura de si é atraente.

Mas, isso foi no início de tudo.
Hoje não preciso provar mais nada porque essa liberdade que nos damos tornou-se algo natural entre nós.
Viver ao lado de alguém que só te cobra é chato.
Viver com alguém que diz: "Você não vai!" é horrível. Esse lance de "você não pode ir" é coisa que mãe e pai dizem aos filhos. Sem essa! Somos adultos e nos garantimos, confiamos no nosso sentimento e nas nossas promessas de amor.

Mas repito, sabemos dos nossos limites.
Um vacilo qualquer já acabaria com toda essa nossa tranquilidade.
Dependendo do homem, não dá para ter esse nível de liberdade. Infelizmente existem homens que não têm noção das coisas ou não amam mais as suas esposas. Mas em todo caso, estou me baseando somente nas minhas vivências e como eu prefiro viver a dois, ou melhor, preferimos.

Por isso quando ele disse que ia para Sendai (local mais atingido pelo tsunami no Japão), senti que ele queria muito vivenciar tudo aquilo e fazer parte da história sendo útil. Não me senti no direito de dizer que não. Só fiz milhões de recomendações (parecia a mãe dele! kkk) e pedi para que tomasse muito cuidado.
Tudo deu certo e ele voltará no próximo domingo.

A saudade me consome, mas não posso só pensar em mim.
Te amo mô.

17 de mar de 2011

Desapego e Dica: "Você Gosta ou Precisa?"

O clima aqui no Japão (obviamente) continua tenso e todos continuamos solidários aos japoneses vítimas do tsunami em Sendai, mas a vida continua e o fato do meu marido estar fora toda esta semana me fez querer retomar a minha rotina de blogueira, pois preciso de algo que gosto de fazer para distrair a cabeça.

Não vou trabalhar nos próximos 4 dias, pois o ritmo de produção das fábricas por aqui caiu, então voltarei a blogar, adiantarei minha mudança e outros detalhes da nossa viagem ao Brasil.

Para quem acompanha meu blog há uns meses já sabe que planejamos o nosso retorno ao Brasil há 1 ano e, diante de tanta tragédia, às vezes sinto um aperto no coração por ter que deixar o país neste estado. Por pensar assim é que decidi ajudar o máximo possível enquanto eu ainda estiver por aqui e orar muito para que a vida daquelas pessoas melhore o mais rápido possível. Não digo pelos bens materiais, mas pela dor de perder entes queridos de uma forma tão severa e traumatizante. Só Deus para confortá-las.


Mas mudando um pouco de assunto, eu quero compartilhar com vocês a dificuldade que estou sentindo para me organizar com a mudança. Sou bem organizada, vou tirando as coisas do lugar, limpando e já colocando nos seus devidos lugares para não acumular bagunça, mas mesmo assim às vezes me perco. rs

Outra coisa: mudar só de bairro é uma coisa, agora mudar de país é bem diferente. Não dá para levar tudo que queremos e por causa disso estou dando 90% das minhas coisas para amigos (sofá, televisão, cortinas, tapetes, telefone, fax, mesa do computador, etc). Os outros 10% estamos vendendo a preço de banana como por exemplo o ar condicionado que vale 80.000 ienes por 10.000 ou a geladeira que pagamos 90.000 ienes e agora vale 15.000 (9 anos de uso).

Caso contrário, teríamos que contratar o serviço da prefeitura que vem em casa pegar tudo para jogar no lixão ou reciclar. Achamos que não seria necessário já que as nossas coisas são boas e semi novas. Dá dó de jogar. É aquele velho lance do apego!

E por falar em apego, esta mudança está me obrigando a trabalhar este meu lado.
Sempre pensei que eu fosse desapegada a coisas materiais, mas na hora de separar o que vai e o que não vai com a gente para o Brasil (principalmente roupa e sapato) percebi o quanto ainda sou apegada às minhas coisinhas! rs... Então, conversando com uma amiga ela me aconselhou:

Quando você pegar alguma coisa pense: "Eu gosto disso ou preciso disso?"
Pronto! Dilema resolvido.

Gente, olha a minha descoberta: 90% das coisas que tenho eu GOSTO e não necessariamente PRECISO!!!!! Incrível como a gente se apega a coisas que não precisamos. Fica aí esta dica para quem tiver este mesmo dilema. Ah! Também sou a favor de doações, sempre têm pessoas precisando daquilo que você não usa mais, MAS tome cuidado para não doar suas coisas sem lavar. Tem muita gente que diz fazer doação, mas não é por amor ao próximo e sim para simplesmente se desfazer das coisas em casa. Assim não vale! Sempre que fizer qualquer tipo de doação, doe aquilo que gostaria de receber caso fosse VOCÊ o necessitado.

E esta dica da Sol (que trabalha comigo) deu super certo. Discernir o "gosto" do "preciso" me ajudou demais na hora de deixar certas coisas que julgava serem indispensáveis.
Mas, tenho lá meus pontos fracos..... Sapatos!
Gosto PRECISO de todos eles! kkk



A July que mora na Alemanha também abordou este tema: leia aqui

15 de mar de 2011

Terremoto no Japão e eu

Quando sentimos na pele algo que só vemos nos filmes e na tv, a primeira reação é não acreditar naquilo.
Como o terremoto na cidade onde moro (Toyohashi, mais ao sul) foi leve, não tive noção do que o Japão passava naquela tarde do dia 11 de Março. Voltamos todos a trabalhar normalmente e só quando cheguei em casa pude ver a tragédia que aconteceu no nordeste do país.

tsunami invadindo aeroporto de Sendai


Durante todos esses 9 anos morando no Japão, pude acompanhar inúmeras reportagens de tragédias naturais ocorridas no Brasil e uma das que mais me chocou foi o recente desabamento que matou milhares de pessoas no Rio de Janeiro. Mas, por mais que a notícia fosse ruim, não senti tanto quanto agora. Quando estamos muito próximos do desastre, tudo toma uma proporção gigantesca.

Amo o Japão, para mim é como se fosse meu pai adotivo que me acolheu de braços abertos, que nunca me deixou faltar nada e que me ensinou lições que levarei comigo pela minha vida inteira como: cidadania, respeito ao próximo, educação, altruísmo, humildade e discrição.

Sem demagogia, posso dizer que o meu coração está partido. Me sinto um nada diante de tanta destruição. Estou fazendo minhas doações enviando cobertores, objetos de uso pessoal e agasalhos para a cruz vermelha, mas nada que eu envie àquelas pessoas poderá me confortar a angústia. Por mais que eu envie tudo que eu puder, ainda continuarei achando que estou fazendo pouco.

Amo, admiro e respeito profundamente este povo que é sinônimo de luta e reconstrução. Jamais permitirei que subestimem uma nação que se refez diante de tantos ataques, entre eles o lançamento da bomba atômica em Hiroshima e o terremoto que acabou com a cidade de Kobe em 1995.

Cidade de Hiroshima (agosto de 1945)

Terremoto na cidade de Kobe - 1995
Estamos todos tão chocados que tudo que pensamos em fazer se torna ridículo: comer uma sobremesa, ir ao shopping, esbanjar no supermercado, pensar em comprar roupa ou um simples tênis.
Não há clima para se pensar em mais nada a não ser ajudar as vítimas que encontram-se abrigadas nas casas de parentes, amigos ou nos abrigos organizados dentro das escolas, hotéis e quadras esportivas. Inclusive, vi hoje no site da Globo.com a história de uma mulher que deu a luz num desses abrigos, veja aqui.




Espero que esta criança que acabou de nascer seja mais um anjo na terra como este soldado:



O que me entristece mais ainda é acessar a internet e saber que diante de tanta desgraça, ainda existem monstros (para mim não são humanos) que já começaram a aplicar seus golpes sobre as famílias no Brasil que têm parentes no Japão. Segundo o blog Lost in Japan bandidinhos de meia tigela já estão telefonando para o Brasil se passando por representantes da embaixada ou médicos pedindo depósitos em dinheiro para darem continuidade ao tratamento do seu parente no Japão (eles ligam do Brasil dizendo que estão no Japão e até blefam um sotaque japonês). Essas pessoas que praticam o mal não tem idéia do quanto terão que acertar as contas com seu próprio destino futuramente. Lamento.

Estou com a televisão ligada agora e notei que a Globo Internacional IPC está emitindo informativos do governo pedindo para que a população não se desespere e pare de consumir alimentos, combustíveis e água para estocar em casa. Isso faz com que tudo acabe mais rapidamente e torne a situação mais crítica. O Japão tem estoque desses 3 itens para até 6 meses.

Meu marido foi a serviço para Sendai, a região mais afetada pelo tsunami, para trabalhar como produtor e intérprete para uma emissora de tv brasileira, o SBT - (assista às reportagens feitas pelo repórter Fábio Diamante aqui, aqui, aqui e aqui) - e, conversando com ele ao telefone (só dá para fazer ligações do hotel onde eles se hospedaram) ele me dizia que era surreal ver tudo aquilo, que parecia coisa de filme e muitas vezes ele não acreditava estar vendo aquelas cenas. Me disse também que, se não soubesse que o Japão já se reergueu de outras tragédias, talvez não acreditaria que um dia aquela região voltaria a ser outra vez uma cidade ou um lugar para se viver. Tudo ali é indescritível.

Ele está sem tomar banho desde que chegou em Sendai com a equipe da tv, ou seja, desde segunda-feira de manhã, disse que não tem água, telefone, internet nem combustível. A equipe tentou alugar um veículo, mas não conseguiram, pois não havia como abastecê-lo em lugar algum. Dependem de táxi.

Quando os alimentos, bebidas e mantimentos chegam nas lojas de conveniência, os funcionários entregam um pouco de cada coisa por pessoa para que todos possam receber. Tudo muito organizado.
Inclusive vi uma reportagem também no site da Globo.com com uma foto mostrando o quanto os japoneses são organizados nesses momentos de caos:

Japoneses organizados pacientemente em fila num supermercado para receber alimentos
(Foto: Jo Yong-Hak/Reuters)
Esse senso de organização e espírito de equipe são adquiridos desde pequenos nas escolas. Por ser um povo muito sofrido, passam por inúmeros treinamentos para saberem como reagir durante o tremor e depois dele.

Bom, acho que hoje consegui compartilhar com vocês uma parte das minhas angústias diante de tanta destruição. É meio óbvio o motivo pelo qual não estou visitando os blogs de vocês que tanto adoro. Claro que estou com saudades da minha rotina de blogar temas sobre o amor, amizade e outros assuntos, mas confesso que não estou no clima. Me desculpem pela minha ausência e por não dar conta de responder a todos os comentários carinhosos que vocês estão deixando. Mas, saibam que todo esse afeto, mesmo a distância, me faz um bem danado. Saber o que vocês pensam e o que estão sentindo me faz imaginar que não estou sozinha neste apartamento semi vazio e super silencioso. Obrigada por toda atenção e preocupação que continuam demonstrando por aqui.

Rezemos fortemente para que essas pessoas encontrem paz nos seus corações.



Mal terminei de postar aqui e tudo acabou de tremer!!!!!!
Meu coração tá acelerado, desliguei o aquecedor e corri para debaixo da mesa!!!!
Estou com medo, escala 5 na tv!
Vou parando por aqui beijosss


Quem mais falou sobre este assunto:

11 de mar de 2011

Hoje a terra tremeu aqui no Japão, estamos bem

Amigos queridos,

A nossa mudança já está na reta final e está cada vez mais difícil achar um tempinho para blogar e visitar vocês. Mas, não poderia deixar de vir aqui para comunicar que estamos bem.

Infelizmente hoje aconteceu um terremoto e maremoto (tsunami) horrível, mas não se preocupem! Estamos bem, a nossa região (Aichi-ken Toyohashi) não foi afetada graças a Deus, mas a coisa foi feia mesmo.

Muito obrigada pela preocupação de todos vocês que se preocuparam em perguntar se estamos bem por aqui, inclusive minha mãe acabou de me ligar chorando desesperada querendo saber se eu estava bem. A minha sogra também ligou com a voz trêmula querendo notícias. Minha amiga Fabíola ligou preocupada e alguns e-mails chegaram também.

Hoje eu estava trabalhando a por volta das 15horas o prédio começou a balançar para os lados, mas como eu trabalho no térreo, não senti muita coisa. Quem sentiu mais foi o pessoal do terceiro andar. O tremor que deu por aqui foi na escala 2, não é perigoso, mas assusta. O epicentro no mar chegou a 8,9 pontos na escala Shindo, monstruoso!

Bom, todos ficamos agachadas embaixo das nossas mesas esperando o tremor passar. Fiquei com medo e saí pra rua, mesmo sabendo que esta não é uma atitude correta. Meu marido vai folgar amanhã, a fábrica da Suzuki não quis arriscar e deu folga pra todo mundo. Mas, eu trabalharei normalmente até meio-dia.

Depois do tremor liguei pro meu marido e não completava a ligação. Tudo congestionado, mas graças a Deus não aconteceu nada demais por aqui. Em compensação na região norte do Japão foi um desastre e isso vocês podem ver nos principais meios de comunicação.

Rezemos pelas vítimas.
Mesmo estando bem, tenho plena consciência do que é um terremoto e posso garantir que é traumatizante, assustador. Obrigada pela preocupação e carinho de sempre! Bjs

2 de mar de 2011

2 anos compartilhando idéias!!!


Oláááá queridos amigos!!!!!
Apesar da correria, eu não poderia deixar de comemorar junto com vocês o segundo ano do meu blog, ou melhor, do nosso blog!
Aqui escrevo tudo que me vem à cabeça, coisas interessantes, outras nem tanto assim, assuntos que para mim são super bacanas, mas que não agradam a todos, pensamentos pessoais, polêmicos, desabafos, meus passeios, algumas dúvidas, muitos posts sobre o amor, sobre mim ....., enfim de tudo um pouco. E vocês sempre aqui firmes e fortes, de mãos dadas comigo cultivando esta amizade tão bacana.

Para quem está sem tempo hoje, fico por aqui agradecendo de coração aberto e pulsando por todo o carinho e companhia, seja pelos dois anos de trocas de idéias ou menos tempo (seguidores amigos mais recentes).

Para quem tiver mais um tempinho por aqui, deixei essas palavras sobre o blog e a amizade virtual:

Quando comecei meu blog, não conhecia ninguém.
Ninguém me seguia e nunca recebia comentários, aliás eu nem sabia que nos blogs existia esse lance de comentar e retribuir, etc. Fui descobrindo tudo com o tempo, com vocês, assim como é na vida real, descobrimos muita coisa a cada dia, com o tempo nosso melhor aliado.
Por muitos e muitos dias pensava que escrevia só pra mim mesma.
Aos poucos, os primeiros leitores foram chegando, comentando, interagindo, mas mesmo assim nunca imaginei que poderia surgir afeto, eu tinha uma imagem mais fria da blogosfera.
Achava meio surreal fazer amizade pelo computador, já que as amizades no mundo real eram tão difíceis de serem conquistadas e mantidas.

Com o tempo, passei a escrever não só para mim, mas para meus novos leitores também. Até que senti por parte deles um interesse real pelas minhas opiniões e que esses novos (e poucos) leitores queriam mesmo dividir seus pontos de vista e até chegavam a me mandar um e-mail com palavras de conforto e carinho. Ao mesmo tempo, eu também passei a visitar basicamente os mesmos blogs para sempre estar por dentro das idéias ou da rotina de alguma amiga blogueira.

Até hoje penso muito antes de escrever um comentário quando sinto que o post que acabei de ler é mais um desabafo ou uma angústia. Por mais longe que possamos estar, se escrevemos as palavras certas, podemos sim ajudar muito alguém.

Hoje, com 2 anos de blog, posso dizer aqui que conquistei muitas amizades apesar de ainda não ter conhecido ninguém pessoalmente, com exceção da Fabi que já era minha amiga há anos.

A gente acaba se envolvendo, queremos saber tudo, se vocês fizeram as pazes com o marido, como foi a ceia de Natal, que presentes ganharam, qual o look daquele final de semana, como foi a viagem, como foi o pós-cirúrgico, saber o que vocês pensam de determinadas coisas, enfim, sem data e hora marcada, começamos a investir num relacionamento que pode ser chamado de amizade, mas não virtual (sob o meu ponto de vista).

A gente desenvolve tanto carinho que fica muito frio esse termo: virtual.
Mas, como resolver essa questão?
Não acho que algumas amigas blogueiras sejam virtuais, pois já temos uma certa intimidade, mas ao mesmo tempo, só nos conhecemos e nos falamos pela internet.
Difícil né? rsrs... Mas o nome certo agora é o que menos importa não é mesmo?
O mais importante é comemorar, não só o segundo aniversário do blog, como também a amizade que estamos cultivando com dedicação, respeito e carinho.

A blogosfera é um mundo à parte onde viajo, literalmente. Nela me refugio, posso controlar minhas palavras antes que elas cheguem ao outro, posso escrever e reescrever a mesma linha mais de quinze vezes (sempre acontece isso rs), é a minha terapia gratuita onde eu mesma posso me dar ao luxo de ser minha própria terapeuta, aqui conquisto amizades e imponho limites, descobri que existe até amigo secreto no final do ano!!! Não é um mundo a parte?!

Através deste blog recebo e-mails de algumas pessoas me contando parte de suas vidas, pedindo conselhos e me passando até seus números de telefone. Quanta confiança! Amo muito tudo isso, tipo slogan do Mc Donalds mesmo. rsrs

Através deste blog já recebi cartões lindos pelo correio.
Cartões com palavras lindas de amizade e admiração.
Como chamar tudo isso de amizade virtual?
Hum, muito complexo para esta hora: aqui são 23:26hs e eu já deveria estar no décimo sono! rs

Bom, agora só me resta agradecer e lembrá-los que há algum tempo fiz um selinho especial para todos que me seguem. Mas, com o tempo ficou inviável avisar todo mundo. Por isso, sintam-se a vontade para pegar o selinho tá? Não tem regras, só carinho!! aqui


Obrigadíssima por cada segundo do tempo de cada um de vocês que se dedicaram a ler o que escrevi aqui e que comentaram, opinaram e, muitas vezes, me ajudaram com palavras tão doces e decisivas. Como eu sempre digo: blogar é muito mais que escrever para alguém ler. Blogar é amizade, interação e irmandade. Um beijo.


Gostaria que, quando vocês tivessem um tempinho, visitassem o blog da minha melhor amiga Fabí. Ela fez um post em homenagem a nossa amizade de anos, e queria muito compartilhar com vocês. Link: Minha Amigona


...e o primeiro pedaço vai para.... todos vocês!!!


Assuntos Relacionados:
Escrever neste blog é como saborear uma bela torta de morangos

1 de mar de 2011

Aniversário, amo muito tudo isso!

Festa de criança é o máximo! Tudo gira em torno da fantasia que um dia perdemos por aí...

Aniversário de criança me lembra carrossel, parque de diversão, pirulitos coloridos, laços, música, alto astral, brincadeira, palhacinhos e muitas gargalhadas! É um momento único e mágico, como num circo onde podemos nos soltar e voltar a ser criança; onde existe a possibilidade de esquecermos um pouco os nossos problemas da vida real e mergulharmos de cabeça no mundo fantástico de uma infância que um dia tivemos.

A Beatriz Ayumi foi a aniversariante de uma das festas mais encantadoras que já fui. Sim, é a fofurinha da foto aqui embaixo, dá vontade de apertar muito não dá?



Filha da minha amiga Gislaine, a Beatriz usou dois vestidos na festa, e aí? Isso é luxo de princesa ou não é? Claro que sim! Teve muita brincadeira com palhaços, música, bexigas e, como não poderia faltar numa festa de menina, muito ROSA e lilás!! Tudo planejado, tudo pensado com muita dedicação e trabalho (só eu sei o quanto os pais da Bia lutaram para lhe proporcionar esta festa).

E aí? A festa de um ano do seu filho é feita para a criança ou para os pais? (já que a criança nesta idade não entende muito bem o que está acontecendo). Sinceramente, eu acho que no fundo a criança sente sim, ela sente que algo diferente e especial está acontecendo. Acredito sim que a felicidade dos pais consiga chegar ao coração do seu filho e levar uma sensação de que aquilo tudo é só pra ele.

Porém, também acho que uma parte da realização da festa seja uma realização pessoal dos pais. É como se o papai e a mamãe, naquele momento da festa, principalmente na hora de cantar os parabéns, comemorassem o primeiro ano de vida de um ser humano que foi gerado pelos dois. É um grande acontecimento, independente do tamanho da festa: simples ou mais requintada.


O segredo de toda grande festa está nos menores detalhes...








Agora quero mostrar a "criançada curtindo a festa"!! rs...

Silvana, Gislaine mamãe da Beatriz e minha amig e eu
Titia Flávia e titio Shiroma presentes nesse momento super especial na vida da pequena Beatriz, parabéns!

Vou sentir saudades amiga!!!


 Beatriz, um ano de vida!!


A seguir vou mostrar as lembrancinhas da festa, super fofas, mas nada substituirá a lembrança que levarei comigo para sempre, no coração!







Amigos queridos, preciso muito da compreensão de todos. Nos próximos dias estarei com muito menos tempo para visitar os blogs que tanto adoro. A mudança por aqui está cada vez mais bagunçada! rs... Também postarei textos aqui com menos frequência, mas é tudo por um ótimo motivo!! Uhhuuu..... Beijos e até breve!