21 de jun de 2011

A menininha do ônibus

Olá pessoal! Antes de contar para vocês o que vi hoje e o que me fez pensar, quero agradecer de todo meu coração por cada comentário e dica sobre os gatos que vocês deixaram no post anterior. Aproveitando o assunto, também quero contar que estou completamente apaixonada pelos nossos gatinhos: a Celeste e o Robinho. Eles já tomaram vermífugo, a vacina tríplice felina e cada um deles já tem a sua carteirinha do veterinário. Estão com uma saúde de ferro e engordando muuuuito!!! Estão ficando barrigudos!!! Amooo!!!!

Prometo retribuir todas as visitas em breve!!!
É que eu estive estudando para a minha prova teórica do Detran que foi hoje cedo.
A boa notícia é que passei com a nota 9,01 e amanhã terei as minhas duas primeiras aulas práticas!!
Uhhhuuu..... Campo Grande que me aguarde!!!! rsrs

Bom, mas deixa eu ir direto ao assunto do que rolou no ônibus hoje.
Ainda faltavam uns 3 pontos para eu descer quando entrou no ônibus uma menininha muito linda (como esta da foto - procurei no Google alguma imagem que pudesse transmitir à vocês quão lindinha  pequena era a menina que vi) sozinha. Ela passou a catraca como gente grande segurando uma mochila que dava na cintura dela. Muito pequena gente, ela parecia ter no máximo 5 anos, como a foto por exemplo.


essa menininha é muito parecida com a do ônibus

Continuou segurando a mochila de rodinha no chão com a mão esquerda e com a direita se equilibrava em pé no ônibus apertando o ferro.
Ofereci meu lugar e ela recusou.
Insisti dizendo que já ia descer e ela aceitou.
Antes dela sentar, ela mesma viu que o banco de trás estava vago. Então ela disse pra mim: "senta aqui tia"!!! (que graça!!)
Mas eu não me sentei, eu ia realmente descer.

Estou compartilhando isso com vocês porque ver aquela menina tão novinha levando uma vida de adulto (pegando ônibus sozinha daquele jeito) tão cedo, mexeu comigo.
Pensei onde estaria a mãe dela?
Trabalhando?
Ou seria uma mãe relaxada?
Acredito mais na primeira opção.
Imagina só essa mãe trabalhando preocupada pensando que naquela hora a sua filha estaria dentro do ônibus voltando da escola. Imagino que deve ser uma mãe que vai trabalhar (tomara que seja isso mesmo) todos os dias rezando para que nada de ruim aconteça à sua filha. Que barra!
Eu sei que se aquela garotinha pega o ônibus, é por necessidade ou falta de opção dos pais, mas mesmo assim penso que esse mundo é muito injusto.
Aquela menininha deveria estar sendo levada para casa ou escola pela mãe, seja de carro ou bicicleta ou a pé conversando.... sei lá.... e não em pé num ônibus exatamente igual a uma mulher de 40 anos de idade que estava ao seu lado.

Minha sogra disse que por um lado é bom que a menina vai aprender a se virar desde pequena.
Mas será que pra gente aprender a se virar, temos que ter uma porcentagem da infância roubada assim?
Tá, posso estar exagerando.
Sei que pegar ônibus não rouba a infância de ninguém, mas também não conseguia ver nexo naquela cena toda. Parecia que algo estava fora do lugar. Ônibus são para adultos e não criancinhas desacompanhadas. Fora o perigo que nem estou citando aqui para não estender muito o assunto (mais ainda).

Sei lá.
Não gostei de ver aquilo e espero de coração que aquela menininha vença na vida para não ter que fazer como sua mãe (suponho): ir trabalhar com o coração na mão.

27 comentários:

Paty Chuchu disse...

Realmente eu tb nao gostaria de ver isso..Sou mae ,trabalho fora,como muitas outras mas tento fazer o possivel pra nao deixar a minha menininha,que por sinal tb e´ linda(mae coruja e´fogo!!) sem vigilancia.
Espero tb que seja como vc citou ,uma mae trabalhadora que nao tem outra opcao,que vai trabalhar com o coracao apertadinho por deixar a menininha sozinha,mas tb pode ser que alguem esteja a esperando no ponto de descida..
Claro que as criancas tem que aprender a ser reponsavel,me lembro que eu tinha 9 anos e minha irma tinha 6 e ja ficavamos em casa sozinha,eu arrumava a casa e ja cozinhava tambem,como muitas outras criancas que tem que cuidar dos irmaozinhos..nao me fez mal,amadureci muito cedo,fui mae cedo,casei ja tendo nocao do que me aguardava.
Mesmo assim a minha filha menor hoje com 10,faco o possivel para nao deixa-la sozinha,levo de carro para os lugares mais distantes, qdo nao sou eu e´ pai quem faz e qto a escola,vai sempre de onibus escolar,e,agradeco muito a Deus por eu ter essa oportunidade e dar uma qualidade de vida melhor pra ela,pois responsabilidade ajuda a crescer,mas acho que tudo tem seu tempo!
Infelizmente existem muitas familias que nao tem essa chance,pai e mae tem que trabalhar 10 ou 12 hrs diarias sem ter com quem deixar as criancas,triste mas e´ a realidade..beijokas

Lu Fernandes disse...

Nossa Flavinha!!!!! Bom dia primeiro né dona Lu???kkkk
Não tive como evita, mas acada frase que lia ficava imaginando meu filho de 11 anos, que nunca deixei atravessar a rua da minha casa pra ir sozinho até a padaria..
Meu Deus, coitadinha da menininha! Como você disse, tomara que pelo menos seja por uma causa plausível que ela tenha que passar por isso, tomara que a mãe, ou o responsável esteja realmente trabalhando e que ela vença mesmo na vida pra não precisar ver seus filhos passarem pelo mesmo.
Isso me fez até refletir, será que estou deixando meu filhos despreparado par o mundo o protegendo tanto? Não consigo soltar. Acho que é meu dever estar junto dele onde que que seja... Aí nos deparamos com uma cena assim e a cabeça dá voltas... Boa terça feira pra você viu!! Coloca fotos novas dos gatinhos quando der!
bjs

Line disse...

Também não acho seguro, mas como vc mesma disse, talvez não houvesse uma outra opção, e ela estava ali mesmo por necessidade. Eu mesma cansei de fazer isso, mas morava há uns 15 mins da escola, e ia/voltava sempre caminhando com outras crianças.

De uns tempos pra cá comecei a entender que nós somos uma pequena parcela da sociedade que acredita que instrução, boa educação e principalmente muito carinho são fundamentais para o desenvolvimento sadio de uam criança. Infelizmente a realidade é dura, e é só colocar os pés na rua pra constatar que, infelizmente, tem muita criança aí fora levando vida de adulto, sem ter outra opção.

Mas neste caso específico vc citou a mãe da criança, mas eu citaria também o pai, que deveria ter as mesmas responsabilidades. Mãe sofre...rsrs.

Beijos!

Carla Guanais Branchini disse...

é estranho e até raro ver essas cenas hoje em dia. Tanta violência que os pais acabam super-protegendo os filhos que às vezes não podem nem sair na frente de casa sozinhos. Tudo bem, porém eu quando era criança, talvez na idade da menininha que encontrou, eu ia sozinha à escola, às vezes ficava com preguiça de subir para casa à pé e pegava o ônibus, já que não precisava pagar, era só passar debaixo da roleta. E lembrando disso, fico feliz. Pois é uma independência boa, claro que os pais têm que estar ciente do perigo mas também confiar nos seus filhos e prepará-los para o mundo em que vivem, com violência, etc. E não super-protegêlos, sem deixá-los aprender em como viver na época em que nasceram, aprender a se virar, ficarem espertos e atentos com tudo à sua volta.... Beijos

disse...

Nossa, Flavia...eu entendo completamente como você se sentiu!
A vida anda tão braba que ver crianças já desde cedinho expostas à certas dificuldades me entristece.
Meus sobrinhos estão passando uma fase muito triste também. Meu irmão se separou, e minha ex-cunhada não trabalha nem procura absolutamente nada para fazer. Quer ser sustentada e pronto. E ainda tem uma filha que nem do meu irmão é, mas acaba vivendo do dinheiro da pensão também. No fim de semana a minha sobrinha (de 7 anos) ficou esganada pedindo cada moedinha que via com a gente, e no final descobrimos que era para comprar a merenda no colégio...meu coração ficou do tamanho de uma ervilha...
Crianças deveriam realmente aproveitar a infância e toda a felicidade que o mundo tem!
bjs

Rossana disse...

Flávia!
Eu já presenciei cenas assim...
E de tudo o que vc relatou, tbém espero que esta menininha e tantas outras consigam vencer na vida para não ter que submeter seus filhos a este tipo de situação. Sei que os filhos tem que viver na realidade dos pais, mas assim na tenra idade é de dar dó.
Bj pra vc e boa semana!
=)

Dribook disse...

Mãe...um instinto no mínimo intrigante...percebe-se que vc o tem.
Tenho três filhos crescidos mas ainda não criados (será?)...
Sempre trabalhei e tive condições de "monitorá-los" mas a vida ensina as mães que cedo ou tarde filhos são apenas nossos enquanto não falam e não caminham sozinhos...Essa menininha do ônibus nos mostra que por necessidade ou opção (quem sabe?) o senso de responsabilidade nasce junto... e pode ter certeza que o UNIVERSO a protege!!
Beijos

Carol Carneiro disse...

Nossa, gata, é mesmo, né! Penso exatamente como vc e tbm fico com o coração na mão! Mas...o quê podemos fazer se a própria menininha não dá nem tanta conversa (por 1 lado faz ele bem!) e nem faz tanta questão...
O melhor mesmo é rezar por ela e pela família e pedir que Deus abençõe à ela.
Gata, eu e maridão tbm moramos na casa dos meus pais (temporariamente...por 2 anos..rsrs..). Agradeço por ter esta oportunidade, não vejo a hora de morarmos na nossa casinha ou apê! Então, imagino como é!bjs:Carol

Valéria disse...

Oi Flávia!
Para quem tem a opção de acompanhar seu filho, como eu por exemplo que enquanto estudava eles iam de transporte escolar e depois que me formei ia deixar e pegar, uma cena dessas é mesmo desconfortante de ver, bate o instinto da proteção a ignorar a atitude desta mãe, mas ninguém sabe as circunstâncias disso. Que aprendem a ter mais reponsabilidades, sim, mas que o perigo é grande, ah isso é! Tenho pena da criança que ainda naquela fase precisa de proteção e segurança.

Grande beijo!

cintia disse...

gente, bateu ate uma dor no peito...

Desabafo disse...

Engraçado como nossos pensamentos são semelhantes. Eu tb iria imaginar várias coisas e dentre elas tudo o que vc pensou. Acho que de uma certa forma essa postura acaba roubando um pouco da infância dela sim. É um momento pequeno mas que pra mim simboliza muita coisa. Espero realmente que essa situação seja por falta de opção dos pais. Não temos uma postura do governo que dê um auxílio aos pais que trabalham fora pra cuidar de suas crianças. Isso deve ser bem comum. E detalhe: os pais que estão "deixando" suas crianças assim podem ser processadas por abandono de incapaz. Ainda mais se alguma coisa grave acontecer com elas.
Bjs.

.:*Aline*:. disse...

Isso fez-me lembrar da minha infância.. não digo que eu era tão pequenininha assim, mas com 7 ou 8 anos já saia sozinha com o meu irmão (11 meses mais novo q eu).. íamos à escola, centro da cidade, casa de parentes.. pegávamos ônibus sozinhos.. a gente se virava pq nossos pais naum podiam estar o tempo todo com a gente. Se foi ruim??? De jeito nenhum. Aprendemos desde cedo a ter responsabilidades, ser cautelosos. Claro q eu amadureci antes do tempo e me tornei mais realista do q sonhadora. Mas acho q foi bom, sim.
Bju Flavinha!!!

Juh** disse...

Oi Flavia!!
Eu também não gostaria de ver isso, e assim como você espero que não seja desleixo da mãe (ou de quem quer que cuide dela). Como moro em cidade pequena nem ônibus tem por aqui. Qualquer lugar vamos a pé e chegamos super rápido. Mas numa cidade grande a realidade é outra né?
Deus abençoe essa garotinha, e que ela não tenha sua infância prejudicada
beijos enormes

✿Lis disse...

É como eu costumo dizer, no mundo existem vários "mundos". Existem realidades que nem pensamos existir, e qdo nos deparamos com elas, ficamos assim, chocados, intrigados, pensativos.

Boa sorte nas suas aulas e parabéns!

Beijos!

Lilian Amorim disse...

Saudades de vc!!!
Legal saber que está tirando sua habilitação :) Boa sorte.
Quanto a situação da menininha também ficaria chocada. Muito novinha pra andar sozinha assim.
Também prefiro acreditar que a mãe não estivesse acompanhando por ter que trabalhar.
Que Deus a proteja neste mundo de gente maldosa.

Beijão

Regina Rozenbaum disse...

Eiii Flavinha!
Então, já chegou de mala e cuia, já se instalou e pelo que andei lendo abaixo e aqui é vida que pulsa. Desde o tal "apagão" do blogger fiquei com problemas e dificuldades tanto para visitar quanto para postar, mas agora parece que tudo está entrando nos eixos (espero). Quanto as suas ponderações acho-as pertinentes, mas precisamos pensar que nosso des_governo (prá variar)tem sua parcela de "culpa". Cadê as creches, escolas nos locais de trabalho dessas mães? Cadê transporte viável e em tempo hábil para deixar as crianças nas escolas e seguir para o trabalho? Cadê programas escolares (para todos)de turno integral? Só mesmo poucos privilegiados ou fazendo uma ginástica inimaginável para dar conta dessa jornada. Claro que o que questiono não justifica uma criança tão pequena assim estar sozinha pelos caminhos da vida! Mas, é a realidade da maioria de nós brasileiros (isso quando não estão é fora da escola mesmo!).
Beijuuss, amada, n.a. e apareça no divã.

Nutri Bobagens disse...

é, se virar sozinha ela já mostrou que sabe, mas e se defender sozinha? é complicado, tb prefiro acreditar que a mãe estava trabalhando.

Boa sorte ai nas aulas e na prova teórica, lembro que quando tirei minha certeira de motorista, fikei mto ansiosa.

bjoS2

Erika disse...

Oi, Flávia, estou passando aqui para te avisar que finalmente acabei de fazer o novo Chá e ele já está no ar. Sobre o seu post, caramba, eu fico muito apreensiva quando vejo essas coisas. Não lido muito bem com essa coisa de deixar as crianças serem tão independentes e isso é porque eu não tenho filho, imagina se tivesse hahaha Beijos.

Elaine Lobato disse...

Eiiii , Flávia ainda temos muito que caminhar em relação ao desenvolvimento infantil! e apoio á nossas crianças , não li os comentários acima,( se for repetitivo me desculpe)mas pelo que sei
essa mãe trabalhando ou não está cometendo um crime... o motorista do ônibus também poderia ser responsabilizado por pegar criança desacompanhada! O certo seria acionar o conselho tutelar da cidade, encaminhar a criança e esperar que sua mãe seja advertida,O certo seri fazer isso... inclusive vc mesmo poderia fazê-lo ...
outra coisa, acho que ela não saiu da escola sozinha, porque nenhuma escola séria permitiria que uma criança saísse de seu recinto, desacompanhada de uma adulto!
talvez algum adulto tenha a deixado na subida do ônibus e um outro adulto a pegue na descida ...
Mesmo assim, nada pode justificar isso... Falta de planejamento familiar dá nisso! Crianças órfãs de pais vivos...

Thaís Alves disse...

Oi Flavinhaaa! :)
Bem, em primeiro lugar, parabéns pela nota da prova. Eu ainda não tô nem perto do dia de fazer a prova com o tempinho escasso que eu tenho pras aulas, mas qdo chegar lá vou te pedir cola! hauahuahuahaa
Quanto à menininha, acho sim uma cena muito forte, é injusto que uma criança tão novinha tenha que ser responsável por si mesma e por seu bem estar nesta selva que é o mundo. Não consigo achar nada que justifique tal ato, nem mesmo uma mãe que trabalhe 18 horas por dia, que por mais que a menina em casa tenha que ser responsável por si, não haja uma só alma na família desta pessoa que possa ao menos levar e buscar esta criança na escola, que podia inclusive ficar numa creche municipal para ter onde ficar o dia inteiro. Não sei, é claro que entendo que há muitas dificuldades no mundo, mas para tudo te seu tempo e os adultos têm que ser responsáveis por seus filhos.
Um beijooooo!

Fabi disse...

Ai, Flávia, isso é triste mesmo. Perceber o mundo ao seu redor com olhos de estranho é sempre devastador... Algumas crianças passam por situações que não deveriam. Às vezes me emociono só de pensar. Eu tenho 8 (isso mesmo, oito!) sobrinhos e quando vejo algo assim não consigo não pensar neles, não transpor a situação como se fossem eles. Penso em quão vulneráveis eles são e em todo o sofrimento a que uma criança pode suportar.

Eu já dei aula na educação infantil e percebo que as crianças hoje sofrem de carência. As pobres, pela ausência física dos pais que precisam trabalhar e não podem dedicar seu tempo aos filhos. As crianças ricas, pela ausência emocional de seus pais, pouco interessados na formação delas, que pagam para "não terem que se preocupar com os filhos". Sinceramente, não sei o que é pior. Acho que deveria haver um curso para pais, as pessoas estão despreparadas demais para essa função.

Aí eu penso no meu pai, que, mesmo trabalhando nos três turnos escolares (vida de professor é difícil), com cinco filhos, uma caçula (eu) fora de tempo, que nasceu quando ele já tinha 47 anos, parava na hora do almoço para me contar histórias que ele mesmo inventava. Quanta sorte eu tive, tenho muito o que agradecer. E volto a pensar nessas crianças perdidas por aí... Nem sei o que pensar disso tudo. Quais as oportunidades, qual o futuro delas? Tão difícil...

Gigi disse...

Oi Fla

Olha ,ai no Brasil tem muito disso ne?
Tem ate maes que trabalham e deixam os filhos pequenos trancados em casa .Complicado .
Eu jamais deixaria minha filha ,andar sozinha ,ainda mais com essa violencia que tem ,nao so ai no brasil,mas em qualquer lugar.

Olha mudando de assunto, que legal que os seus bichanos estao ficando lindos,e ja tem ate carteira do veterinario ,ai que chique!!!!
bjs

Fabi a loba!!! disse...

Flá... isso é mais normal do que gostaríamos que fosse... o motivo principal que eu não trabalho é para acompanhar minha filha em tudo, faço questão de acompanhar cada passo dela como minha mãe fez comigo... triste sim, mas é a realidade de hoje em dia... as crianças estão amadurecendo cedo demais, concordo plenamente com sua indignação.
Tenho uma vizinha que tem uma filha de 9 anos do primeiro casamento e essa menina faz tudo sozinha, vai para a escola desde pequena só, lava a louça, limpa a casa... fico passada... enquanto a outra filha (do casamento atual)tem toda a atenção da mãe... essa menina sempre vem aqui em casa brincar com a Daphyne e quando ela vem aqui se torna criança novamente, pois a trato como criança...
Coisas da vida...
Beijinhos...

Lya Lukka disse...

Boa noite Flavia, Retribuindo a visita e lendo seu blog, que está muito envolvente. Parabéns pela prova e pela Celeste e o Robinho que são fofos. Infelizmente em certos aspectos a humanidade parece que ao inves de progredir anda regredidndo. Ficom triste quando sei de mães que precisam trbalhar e não podem estar tempo integral com seus filhos. Nessa parte as crianças de antigamente levaram muita vantagem sobre as atuais, né? Eu mesma aproveitei muito mais minha meninice que as crianças de hoje. Mas, espero que pesoas sérias e responsaveis se unam para modificar o atual quadro de nossa realidade atual. Pois caso nada seja feito os efeitos para apr´xima década será catastrofico. E não falo só no âmbito da infancia, mais em todos os seguimentos sociais. Beijinhos e parabéns!

Margot Félix disse...

Flávia, eu também não gosto nada nada de ver crianças fazendo sozinhas coisas de adultos. Embora, como você falou, tenha uma postura de mocinha, nessa idade ela nunca terá a presença de espírito para se defender de uma pessoa de má-fé. Enfim... não gosto.

Um abraço, querida!

J@de disse...

Eu tinha 11 anos quando comecei a pegar ônibus sozinha para ir para a escola e pro curso de inglês... perdi uma amiga da minha idade atropelada quando vínhamos do curso e isso me marcou muito!!
Quando meu filho tinha 9 anos eu tive que colocá-lo numa escola que para ir ele tinha que atravessar a rua e aquilo me deixava inquieta. Eu pedia pra ele ligar quando saísse da escola e quando botasse o pé em casa, coisa de 5 minutos depois!!
Imagino o que minha mãe sentia por ter que ir trabalhar e me deixar só, porque eu sentia a mesma coisa...
Beijos!!

Um espaço pra chamar de meu disse...

Minha filha tem 11 anos e meu filho 8,nunca andaram de ônibus sozinhos e nem mesmo a pé...Só a mãe dela para saber o motivo de ter que deixar a filha sair sozinha,ñ podemos julgar,mas que é difícil de ver é...