29 de nov de 2010

Gentinha sem noção!!!!

Se você estiver andando na calçada e deixar cair um pedaço grande do seu pão no chão, o que faz?
a) Olha para o pedaço do pão, finge que não era seu e segue em frente.
b) Vê que caiu e volta alguns passos para recolher.

Pois é.
Como vocês são civilizados, escolherão a alternativa "b".
Mas, ainda tem gente sem noção neste mundo que não está nem aí e continua achando que o mundo não precisa de pessoas fazendo sua parte.

Ontem vi essa cena e não acreditei.
Eu e o meu marido ficamos chocados com o descomprometimento daquela mulher com a limpeza do bairro e com a saúde do planeta como um todo. Ela olhou para trás viu o pedação de pão no chão e não fez nada!!! Oi? Como assim?? Isso mesmo, fingiu que não era com ela!!

Outra coisa. Pela cara ela era estrangeira como nós, possivelmente brasileira e ainda tem o descaramento de fazer isso num país que nem é dela???!!!!!

Se não estivéssemos de carro, com certeza pediria para ela pegar o LIXO dela!!!!!!!

Já vi muitos absurdos como este.
Se for relacionar, ficarei horas escrevendo aqui.

Tem coisa que não entra na minha cabeça gente!!!!!!
Como é que ainda nos tempos de hoje, com tanta informação por aí, ainda encontramos gentinhas que não recolhem o seu próprio lixo ou pior, ainda jogam lixo na rua????????
Cada um tem que fazer a sua parte!!!!!!!!!!!!!!!!!
Será que é tão difícil entender??????

Assim como eu, essa cidadã (a qual malhei falei hoje aqui) também mora no Japão. País de primeiro mundo. Tem casa, deve ter instrução, deve ter estudado, tinha boa aparência, carregava livros, etc.....
É o que eu sempre digo: EDUCAÇÃO NÃO DEPENDE DE CLASSE SOCIAL, não importa se você está num país de primeiro ou quinto mundo!!!!

Quem tem educação, tem!
Quem não tem, mata a gente de ódio!


Depois de fechar esta potagem, me lembrei disto e resolvi complementar o assunto:

Um dia eu e o meu marido estávamos em um parque e perguntei à ele:
"Mô, não encontro nenhum cesto de lixo para jogar o nosso lixo! Você viu algum?"
E ele respondeu:
"Aqui no Japão, normalmente não há lixeiras porque cada pessoa é responsável pelo seu lixo; colocamos nosso lixo num saquinho ou na bolsa e o levamos para a casa".
Confesso que fiquei surpresa, mas vi sentido nisso. Esse país é uma coisa de louco! Amo o Japão!

E esta é a foto da mulher que vi na rua! kkk


26 de nov de 2010

Meme - Mais um pouquinho de mim

Lá no blog da querida Gisley Scott encontrei um meme super interessante que me despertou a vontade de participar. Se você tiver um tempinho, clique aqui para ver as respostas que ela postou no blog dela. Ela deixou este meme disponível para qualquer blogueiro participar, sem restrições. Bom, vamos lá:

1. Você se dá bem com a sua sogra?
Sim, nos damos muito bem pelo seu carinho comigo e, principalmente, por ela ser a mãe do homem mais importante da minha vida.

2. Qual é o seu desafio?
Atualmente tenho que desafiar o cansaço físico diário em nome de um objetivo para 2011.
Trabalho em fábrica e o serviço em si acaba com a gente. São muitas horas em pé, fazendo a mesma coisa todo santo dia. Dores nas pernas, nas costas, dores de cabeça, cãimbras, dificuldade do idioma, etc...
Graças a Deus, em 2011 tudo isso chegará ao fim.

3. O que diria ao seu chefe se ganhasse na loteria?
"Quer que eu cumpra o aviso prévio?"

4. O que faria se descobrisse se alguém estivesse mentindo?
Depende da pessoa e da mentira.
Se o mentiroso fosse alguém importante para mim, eu tentaria analisar a situação e conversaria. Também perdoaria se fosse uma mentira sem danos muitos profundos.
Porém, se a mentira partisse de alguém que não é importante para mim, como um simples colega por exemplo, não esquentaria a cabeça. Apenas me afastaria definitivamente. Se a mentira fosse comprometedora, chamaria meu marido para resolvermos juntos a questão com o mentiroso.

5. Se sua casa (Deus o livre) sofresse um incêndio e você pudesse salvar apenas uma coisa, o que salvaria?
Hoje, meu passaporte.

6. Se encontra uma lâmpada mágica, o que pede?
Normalmente pede-se bens materiais não? Bom......
Um closet maravilhoso cheio de espelhos, puffs, acarpetado e dinheiro para encher de roupas e sapatos novos! kkk
Um carro blindado para passear no Brasil!
Deixaria o último pedido para meu marido fazer.


7. O que levou você a criar o blog?
A vontade de "arquivar" todos os meus pensamentos, sentimentos e opiniões no decorrer desses anos de blogueira. Acho muito bacana reler coisas que escrevemos há meses ou anos ... Podemos relembrar bons momentos e compartilhar tudo com pessoas do mundo inteiro.

8. Você mudaria algo no seu passado?
Mudaria só se eu tivesse a maturidade de hoje.

9. Qual é o seu sonho?
Ter filhos e proporcionar a eles uma vida cheia de alegrias, amor e saúde.

10. O que já fez de vergonhoso?
Já julguei pessoas pela aparência física.
Hoje sei que isso não tem cabimento, é feio, desprezível e inexplicável.
Mas, já fiz sim.

11. Se fosse um animal, qual seria?
Um cão, tipo pastor alemão ou labrador, pelo espírito de lealdade. (também porque só de olhar, todo mundo já ia começar a fazer carinho em mim, hehe!!)


12. O que nunca faria por dinheiro?
Nunca abandonaria ou trairia a minha família.

13. O quê ou quem é capaz de lhe tirar do sério?
Fico p... da vida quando descubro um lobo na pele do cordeiro.
Odeio pessoas que se aproveitam da sua aparêcia frágil para se fazer de boazinha.
Pessoas invasivas também me irritam muito. Acham que estão sendo legais e passam dos limites.
Me tira do sério presenciar uma injustiça. Tomo as dores da pessoa na hora!!!! E depois paro pra pensar...hehe

14. O que fez na sua vida que lhe trouxe mais orgulho?
Me casei com um homem de bem.

15. Com que pessoa famosa ou não gostaria de se parecer?
Fisicamente estou satisfeita comigo mesma, mas se é para escolher, então seria a Charlize Theron.

Charlize Theron
16. O que preza mais na sua vida?
Meu casamento.

17. O que significa paz para você?
Consciência limpa.

18. O que é o amor para você?
Amor é doação, entrega absoluta e gratuita.
É incondicional.

19. Se pudesse mudar alguma coisa no mundo, o que mudaria?
Meus pais biológicos.

20. Qual é a sua melhor lembrança?
São muitas, como por exemplo, o dia em que saí do portão de desembarque em São Paulo e abracei a minha família depois de 4 anos afastados.

21. Qual seria a sua opção para outra profissão que não fosse a sua?
Atuaria como psicóloga na área de recursos humanos de uma grande empresa.

22. Se fosse só fechar os olhos e imaginar, onde gostaria de estar quando os abrisse?
No Brasil.

23. Para você qual é o segredo da felicidade?
Nossa, que pergunta complexa.
Para mim, a felicidade não é algo que descobrimos seu segredo para obtê-la para sempre.
Ela surge em diferentes momentos da vida, assim como as frustrações e angústias.
Não saberia dizer nenhum segredo.

24. Quantos dias você consegue ficar longe do seu blog?
Sem acessar nada? Nem ver comentários? Acho que um dia só! rsrs

25. Qual foi seu brinquedo favorito na infância?
Hahahaha.... os meus brinquedos favoritos sempre eram os brinquedos das minhas amigas!!!! Tudo que era dos outros era mais legal!!! kkkk
Não chega a ser um brinquedo, mas adorava minha big pasta de papéis de carta.

26. Um provérbio pessoal que aplica no seu cotidiano.
Aqui se faz, aqui se paga.


Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre o meu jeito de ver alguns pontos da vida. Participe, mas me avise porque eu quero ler o que vocês responderam ok? Beijos

24 de nov de 2010

Para ganhar um troféu ou um homem?

A Pole Dance (ou a dança do poste) existe desde a década de 20.
Naquela época, a dança do poste apresentada em circos por suas dançarinas já era considerada erótica.
Até a década de 50, as mulheres começavam a se apresentar também em bares, mas a aceitação desta arte sensual aconteceu mesmo a partir da década de 80 no Canadá, quando o Pole começou a ser visto como uma maneira de manter a boa forma do corpo, e não só para se exibir sexualmente ou provocar a libido masculina.
Desde o ano 2000, o pole dance se desenvolveu do exótico ao pole fitness, permitindo mulheres comuns a utilizarem-se da técnica dentro das suas rotinas diárias de fitness.

É aí que entra a minha opinião
Eu admiro o condicionamento físico das mulheres que praticam o pole dance profissionalmente e a sua luta para que esta dança torne-se esporte olímpico um dia desses.
A beleza das apresentações em campeonatos é indiscutivelmente maravilhosa.
Lembro-me de quando babava com as apresentações em campeonatos de aeróbica. Eu era louca para treinar o suficiente para ser campeã na categoria individual, mas não rolou.
Adoro arte, dança e esporte juntos! Isso é muito bom para a mente também.

Porém, contudo, todavia........... gosto mais do pole dance praticado com intenções mais sensuais e libidinosas. Muitas mulheres continuam dançando para seus companheiros nas suas próprias casas ou profissionalmente em boates no mundo todo; e é esta dança no poste que eu acho bacana. Cheia de terceiras intenções.

Claro que em um campeonato ninguém vai se excitar (eu acho! rs), pois o objetivo das atletas é outro naquele momento. Elas querem vencer pela técnica, condicionamento físico, beleza, etc. Também acho legal e até gostaria de assistir um dia.

Acredito que seja impossível um cara ficar excitado em uma apresentação de pole fitness! Se eu fosse homem, ficaria tão apreensivo com a possibilidade da mulher cair diante de tantas acrobacias mirabolantes, que nada subiria naquele momento viu?! São técnicas de ballet, ginástica olímpica, dança, alongamento, músculos e mais músculos... sei lá, acho que não rola uma excitação.

Agora, substituindo tudo isso por uma mulher com um corpo mais real comum, uma super lingerie, menos técnicas profissionais.........etc........ aí sim acredito que todo este sex-mix seja capaz de proporcionar uma noite inesquecível.

Este é um vídeo que mostra as performances de algumas mulheres em campeonatos de pole fitness. Reparem que a conotação é estritamente esportiva e não sexual.





Como já disse, aprecio muito o pole fitness.
Mas, ficarei torcendo para que o pole original "apelativo" não seja abandonado.

Algumas informações sobre o pole dance foi retirado deste site.

19 de nov de 2010

O "não"

Há um tempo venho reparando que todas as vezes que tenho que dizer NÃO a alguém, me sinto obrigada a justificar, nem que para isso eu tenha que inventar um motivo ou contar a verdade sobre alguma coisa pessoal da minha vida, só para não deixar a pessoa sem graça. Mas, na verdade quem fica sem graça sou eu por falar "não"! rsrs... que papo de doido! rs

Porque será que eu sempre tenho a sensação de que o ato de dizer "não" é indelicado?
Se alguém me chama para sair e eu não estou com vontade, eu digo que não posso, explico porque e faço aquela cara de "que pena que não posso ir!". Peço mil desculpas e chego a prometer que poderemos marcar um outro dia. Vixi, que nóia!!! kkk

Até para o meu chefe eu já fico mirabolando mil desculpas para dizer que não poderei trabalhar no sábado! Detalhe: ele não pergunta o motivo.
Entenderam?? Vejo tanta gente falando um simples "não" sem culpa..... porque sou assim? Noiada??

Sempre quero ser tão cordial que acabo sendo exagerada comigo mesma e "falsa" com quem me convidou, porque lá no fundo eu só queria dizer: "Não vai dar, obrigada pelo convite". Eu acho bacana quando alguém se justifica comigo quando tem que dizer não para mim. Mas, é um saco se justificar para os outros né? rsrs... Nóinhas!kkk

Será que dizer não realmente é desagradável e temos que ficar nos justificando? Estou certa ou errada? Vixi....

18 de nov de 2010

Quer um conselho?

Se alguém nos pede um conselho ou uma simples opinião, sempre temos o que dizer na ponta da língua, sem precisar pensar muito. Mas, quando a gente pára pra pensar em como resolver certos pontos da nossa própria vida, muitas vezes dá um branco e não resolvemos nada.

É aí que entra a necessidade de ligar para alguém, desabafar e pedir um conselho.

Se você tem muitos amigos e familiares, provavelmente boa parte dessas pessoas vão querer opinar em alguma coisa e te deixar mais confusa ainda.
Quem tem razão?
O que eu faço?

A dica é essa: tente seguir os conselhos de quem já vivenciou o que te aflige hoje.
Por exemplo: não peça conselhos sobre crise no casamento para uma jovem solteira.
Escolha alguém com experiência no assunto para lhe ajudar e que lhe inspire confiança, principalmente.

Caso contrário você ficará mais confusa ainda e não sairá do lugar.
Pedir conselhos a uma pessoa que nunca vivenciou o mesmo que você ou uma situação parecida, servirá apenas como um bom ouvinte. Provavelmente, depois dessa conversa você vai estar na mesma.
Claro que estou me referindo aos problemas mais sérios da vida. Aqueles que merecem mais atenção, reflexão e uma decisão.

Ouvir um conselho não significa seguí-lo.
Um conselho ou uma boa conversa servirá para ampliar seus horizontes, confortar seu coração ao descobrir que tal problema não acontece só com você no mundo e permitir que você mesma reflita melhor sobre o que te angustia, pois quando falamos, pensamos melhor.

Ah! E um "conselho" para quem for ouvir alguém:
Saber ouvir também é muito importante. Conheço muita gente que começa a falar de si mesmo quando começamos a desabafar. Isso é como um balde de água fria.
Outra coisa: saiba falar sem ofender ou pegar pesado nas palavras. Isso só vai piorar a situação. Se não tiver nada para falar, apenas ouça.


Estou de volta em versão light

Olá meus queridos!
Após alguns dias sem postar nada por aqui, pensei em voltar à blogosfera de uma forma mais light.

Tentarei não me cobrar ou me culpar por estar diante da realidade de que é impossível para mim retribuir a todas as visitas. Confesso que ainda me preocupo com isso, pois todos que deixam suas palavras amigas aqui merecem a mesma atenção.

Selecionei 2 ou 3 dias da semana para postar textos novos, ler os blogs amigos e comentar. É muito pouco até para mim que blogava diariamente, mas esse limite tinha que existir faz tempo.
Espero que compreendam a minha ausência um pouco mais longa em cada blog (já prevejo isso). Só não quero que ninguém pense que abandonei fulano ou ciclano viu? rsrs.... Talvez alguns blogueiros percam o interesse pelo meu blog, talvez não, mas como disse a querida Jade, quem gosta mesmo do que escrevo vai continuar vindo não por mim ou pelas retribuições, mas pelo que cada texto oferece.
Nossa, achei que era mais fácil me impôr limtes. Mas, é tão difícil.......

Muito obrigada a todas as palavras de carinho e compreensão que recebi na postagem "Comunicado" que escrevi no dia 12 falando sobre este meu dilema. Um beijo com carinho!

12 de nov de 2010

Comunicado



Hoje preparei esta postagem para comunicar que me ausentarei da blogosfera por uns dias (3 ou 4 talvez) porque preciso me dedicar a algumas outras coisas aqui em casa.

Venho notando que a internet está consumindo muitas horas do meu dia.

Claro que estar blogando é um dos meus maiores prazeres atualmente, mas me dei conta de que estou passando dos limites.

Afim de não desapontar ninguém, me esforço para administrar meu tempo para retribuir visitas, comentários, ler as postagens super interessantes que vocês postam em seus blogs, etc etc etc.... (faço isso com amor mesmo por isso fico horas....) e, quando dou por mim, já estou há hooooooras no blog.
Coisa de 4, 5 horas seguidas.....

Preciso retomar um pouco a minha rotina mais "normal" de antes e voltar a ser a Flávia que sai, se diverte, arruma as coisas de casa, etc.... tudo com calma!

Sempre quis ter amigos que compartilhassem suas idéias comigo aqui, mas para atender ao carinho recebido, me perdi um pouco. Perdi a noção do tempo "gasto" no blog, perdi a noção de quem preciso visitar mais, me culpo por estar há tanto tempo sem visitar um determinado blog que tanto gosto e etc.....

Quando eu comecei meu blog, não imaginava a dimensão que tomaria. Não sabia que existia esse lance de fazer amizade, de começar a se preocupar de fato com os problemas que cada blogueiro conta nos seus blogs. Enfim, a blogosfera me conquistou de vez e, se eu não me cuidar, serei uma esposa e dona-de-casa viciada em internet e isso não é saudável.

Preciso me situar, voltar ao ponto zero, e estabelecer limites para mim mesma.
A minha vida virtual que tenho com vocês me deixa a cada dia mais feliz. Porém, não posso me descuidar da minha vida real.

Vou me permitir esses dias longe da internet para me dedicar um pouco a mim e à minha família.
Quero usar esse tempo que usava para blogar ligando mais para os meus familiares e amigos que não vejo há anos, por exemplo.
Espero que possam me compreender.

Vou me ausentar, mas em breve voltarei.
Talvez com outras maneiras de me relacionar aqui, retribuir recados, etc.... vou pensar em uma forma de levar meu humilde blog adiante sem falhar com ninguém, afinal adoro todos vocês.

Podem continuar enviando seus comentários. Como sempre, todos serão lidos com muito carinho.
Um beijo a cada um de vocês e até breve!

10 de nov de 2010

Fotografando e colecionando histórias

Se tem uma coisa que faço com prazer é comer fotografar!



Geração rolinho - Eu sou da época em que tínhamos que levar os rolinhos de filme na Fotóptica para revelar e, se fosse um filme de 36 poses, a balconista pedia para retirar as fotos reveladas só no dia seguinte.
Por mais ansiosa que estivesse a minha família para vir as fotos de algum passeio, não havia outra opção (pelo menos para nós) a não ser aguardar.
Lembro-me que, de 36 fotos, salvavam-se umas 30 (chutando alto).
Em meio às nossas fotos, vinham as queimadas, as que saímos com os olhos fechados, as que nos achamos feios, e por aí vai..... foto boa mesmo??? Umas 4 no máximo!! kkkk
Só depois do ano de 2001 as câmeras digitais começaram a fazer parte da minha realidade. Aí não parei mais.
É muito bom visualizar um monte de fotos no computador, escolher as melhores e excluir as que a gente não saiu muito bem. Detalhe: sem gastar nenhum tostão.


Maridão e os king kongs - Às vezes meu marido fica irritado comigo quando estrapolo. Ele diz que é "pagar mico" fotografar dentro de lojas e restaurantes! rs... Esses homens viu.... vou te contar. rs
Outro king kong que ele aguenta é quando eu chamo o garçom para tirar uma foto nossa. Se fosse só uma fotinho tudo bem, mas sempre peço para o garçom tirar mais uma, kkkk, aí meu maridão já começa a bufar, kkk. Normalmente faço isso quando estamos comemorando nosso aniversário de casamento, por exemplo, ou o dia dos namorados. Nessas datas não tem cabimento cada um sair numa foto diferente né? Mas tudo bem, ele já me conhece... rs. Hoje em dia ele já sai de casa preparado psicologicamente!

Ah, outra coisa, também adoro ficar ME fotografando sozinha igual a uma doida.....Meu marido fica no computador e só ouvindo os estouros dos flashies vindos do banheiro! kkkkkkkk... o que será que ele pensa nessa hora??? rs

Sempre tive vontade de reviver momentos da minha infância através de fotos, rever coleguinhas, festinhas, etc.... mas minha família não era desta geração. Aliás, acredito que naquela época as pessoas não eram tão fissuradas por fotos como hoje. Tenho algumas fotos comigo, mas são poucas. Certamente muitos momentos bacanas que vivi foram perdidos no tempo...


Talvez venha daí esta minha mania de fotografar tudo. Adoro eternizar momentos, mesmo os mais simples. E depois fazer o que com tantas fotos? Reviver tudo após alguns anos ao lado de amigos, familiares e porque não netos, bisnetos............

Sim, sim. Esta da foto sou eu com um aninho!
E aí? Vale ou não vale a pena fotografar?

obs.: se atente a sempre gravar suas fotos em cds, não confie no seu pc! Já pensou perder todas suas fotos de bobeira?

6 de nov de 2010

Rótulos são para embalagens

Porque o ser humano prejulga tanto?
Porque algumas pessoas têm o hábito de rotular tão rapidamente outra pessoa a conhecendo tão pouco? Como elas conseguem?

Como é possível uma pessoa se tornar expert em rotular um desconhecido se isso não se faz nem nas fábricas? Nas fábricas, o funcionário precisa saber exatamente o que existe dentro da embalagem para colocar o rótulo correto. Nesse rótulo existem inúmeras informações e todas devem estar corretas para não se tornar uma propaganda enganosa. Se isso acontece, existem consequências ruins para a fábrica.

Porque não começamos a pensar assim também?
Seria tão bom se as pessoas pudessem nos rotular verdadeiramente, com informações verídicas e seria melhor ainda se todos os responsáveis por transmitir conceitos maldosos ou mentirosos também sofressem consequências ruins. Não estou dizendo que deveríamos desejar o mal deles, mas algo deveria acontecer para que eles tomassem conta de quão maléficos podem se tornar ao preconceituar alguém ou alguma coisa. Pense nisso: rotular é normal do ser humano, mas eu acho que as pessoas poderiam rotular as outras APÓS conhecê-las e não antes!

É tão mais simples rotular DEPOIS!
Diante das qualidades e defeitos, você tiraria as suas conclusões.

Mas não, as pessoas fazem o mais difícil!
Diante de um detalhe, uma peça de roupa ou uma palavra dita em hora errada, pronto!!!, já é o suficiente para que todos façam seus prejulgamentos sem saber como é a verdadeira essência da "vítima" (rs) para depois terem que se desfazer de tudo isso. Sabe porque? Porque na maioria das vezes, depois que julgamos alguém, temos a chance de conhecê-la melhor e concluímos que nos ENGANAMOS!

E aí? Como é que fica?
Nunca julguem ninguém pela sua roupa, sapato, condição social ou estilo.
O que podemos fazer (que é natural) é pensar algumas coisas sobre alguém porque às vezes ela nos dá motivos, mas façamos a gentileza de não espalharmos as nossas idéias (na maioria das vezes erradas) fazendo nascer mais uma fofoca no mundo.



No blog Chá das Cinco da minha querida amiga Érika Saab vocês poderão ler uma postagem muito interessante e bem desenvolvida sobre este assunto, porém com outros pontos de vista. O link é este: A vida não é filme, você não entendeu. Vale a pena!

A Presidente ou Presidenta?

Na tv só se fala, obviamente, em Dilma Roussef e toda vez que assistia a uma entrevista ou reportagem, eu e o meu marido nos perguntávamos: "É presidente Dilma ou presidenta?".

Então, pesquisei este assunto na coluna do professor de português Sérgio Nogueira (Globo.com) e reproduzi o texto dele aqui para compartilhar com vocês:





Tanto faz. As duas formas, linguisticamente, são corretas e plenamente aceitáveis.

A forma PRESIDENTA segue a tendência natural de criarmos a forma feminina com o uso da desinência “a”: menino e menina, árbitro e árbitra, brasileiro e brasileira, elefante e elefanta, pintor e pintora, espanhol e espanhola, português e portuguesa.

Na língua portuguesa, temos também a opção da forma comum aos dois gêneros: o artista e a artista, o jornalista e a jornalista, o atleta e a atleta, o jovem e a jovem, o estudante e a estudante, o gerente e a gerente, o tenente e a tenente.

Há palavras que aceitam as duas possibilidades: o chefe e A CHEFE ou o chefe e A CHEFA; o parente e A PARENTE ou o parente e A PARENTA; o presidente e A PRESIDENTE ou o presidente e A PRESIDENTA…

O problema deixa, portanto, de ser uma dúvida simplista de certo ou errado, e passa a ser uma questão de preferência ou de padronização. No Brasil, é fácil constatar a preferência pela forma comum aos dois gêneros: a parente, a chefe e a presidente. É bom lembrar que a acadêmica Nélida Piñon, quando eleita, sempre se apresentou como a primeira PRESIDENTE da Academia Brasileira de Letras. Patrícia Amorim, desde sua eleição, sempre foi tratada como a presidente do Flamengo.

É interessante observar também que formas como CHEFA e PARENTA ganharam no português do Brasil uma carga pejorativa.

É possível, porém, que a nossa Dilma prefira ser chamada de PRESIDENTA seguindo nossa vizinha Cristina, que gosta de chamada na Argentina de LA PRESIDENTA. Hoje ou amanhã teremos uma resposta definitiva. Espero.

Sérgio Nogueira

1 de nov de 2010

Aniversário (e sinceridades) de criança

Eu adoro aniversário de criança e o universo delas também!
Elas são espontâneas, sinceras e sempre falam a verdade! Até demais! kkk
Esta é a Emily, a protagonista da minha postagem de hoje e aniversariante do dia!!!


Bom, eu disse que adoro a sinceridade das crianças porque elas não ficam fazendo média. Se gostam de você, te recebem com um sorriso enorme e sincero. Se não gostam, nem chegam perto. Exceto no dia do aniversário. Elas correm em nossa direção e nem olham direito para nós, olham para as nossas mãos!!!! rsrsrs
Ontem, propositalmente, demorei um pouquinho nos beijos nela e fiquei segurando o presente.
Não demorou muito para ela dizer pra mim: "O que é isso??" (apontando para o presente e quase pegando de mim! rs).
Quando entreguei, ela ficou tão feliz que nem agradeceu! kkkk...
Aí adivinha???? Veio a mamãe Khenia na mesma hora e disse: "Filha, como é que se fala?"
A Emilly respondeu bem baixinho: "Obrigada". E saiu correndo com os coleguinhas e priminhos!!!! kkk

Bom, acho que esta é a sinceridade número 1 das festinhas de criança!!! Eu acho um barato, pois quando ela for adulta, tudo isso se perderá no tempo. Para manter seus amigos e ser simpática, ela terá que aprender a disfarçar certas coisas que hoje ela nem sabe que existem! Esta é a vida. Por etapas. Eu já fui assim e meus filhos assim serão. Tomara!!!!

A Emilly é garotinha simpática, super vaidosa, alegre, cheia de vida e modelo por natureza! Adora tirar uma foto! Mas, quando a gente abusa, o sorriso lindo dela começa a ficar "amarelo"! kkk


Tadinha, ela não aguentava mais tirar fotos!!! A gente abusou dela. Tadinha! rs
Ah! Outra sinceridade: depois que cantamos parabéns, ela estava tão ansiosa para brincar com os amigos que disse na frente de todos que não queria tirar fotos!!!! Coisa de criança de verdade gente!!! Que fase boa esta de poder falar sempre a verdade não é mesmo??? rsrsr..... Aproveita Emilly.........!
Parabéns minha querida. Continue sendo esta garotinha linda e meiga sempre! Todos nós podemos manter acessa essa alegria de criança. Viver a vida de uma maneira mais leve e menos estressante. Com sorriso amarelinho ou não, o que importa é sempre a boa intenção não é mesmo Emily?! rs...

Também postei algumas fotos da pequena Emilly.
Momentos inesquecíveis para mim!

Emilly ainda na barriga da mamãe Khenia! Dia do Chá de Bebê da Emilly (ano 2006)

O que será que tem de errado com este Papai Noel???? kkk

 
Natal 2007 - titia e titio...rs

Eu, Emilly e a mamãe Khenia!