26 de set de 2010

Não encontrei o Brasil que deixei

Em 2005 fui ao Brasil depois de 4 anos vivendo no Japão. Lá, fiquei um mês e meio.  Matei a saudade da minha família e amigos, conheci alguns parentes do meu marido, visitei alguns médicos e descansei um pouco. Até aí tudo normal se não fosse pelos "choques" com as mudanças que senti.

Foi incrível. Como só quatro anos foram suficientes para tantas mudanças?
A impressão que eu tive foi que adormeci durante esse tempo todo e quando acordei...BUM.... tudo estava diferente! Foi muito louco.

Nesses 45 dias no Brasil senti muita diferença em tudo:

Primeiro que você passa a valorizar coisas que antes nem ligava, por exemplo ir ao Carrefour! Que maravilha gente! Que emoção entrar num mercado gigante e ser capaz de ler e entender tudo o que diz cada rótulo!! rs... Aqui no Japão (obviamente) não entendia quase nada nos mercados e comprava muita coisa me baseando nos desenhos das embalagens. Antes via os mercados do Brasil como um lugar qualquer. Hoje os vejo como um lugar incrível, colorido e cheio de novidades!

Meus amigos já tinham tomado um rumo na vida e não tinham mais o mesmo assunto. Minhas amigas solteiras que passaram para o time das casadas já não tinham a mesma disponibilidade de antes para curtir um barzinho ou lojas de shopping. Lembro-me de telefonar para alguns números de celular dos meus amigos de uma agendinha velha que estava guardada e ninguém mais atendia. Todos desligados. Eu não conseguia mais me comunicar com muitas pessoas que ficaram só na minha lembrança.

Tudo ficou mais caro! Quando saí do Brasil, um cartão telefônico custava 1 real e quatro anos depois paguei 7 reais!! Lanche do Mac? Que absurdo! Muito caro! Vocês devem ter ouvido falar da loja de sapatos Jorge Alex. Pois é. Eu sempre ia lá fazer a festa e pagava cerca de 39 reais num par. Quando voltei, só tinham pares de 69 reais pra cima! What???? Muito estranho.....
Ainda mais levando em conta que no Japão nada aumenta de valor. Hoje, uma caneta custa o mesmo valor de 9 anos atrás.

Lembro-me que naquela época a Marta Suplicy tentava se reeleger em São Paulo e transformou a avenida Faria Lima num campo de batalha, quebrou tudo, pôs tudo abaixo para reformar. Tudo que eu via não estava do jeito que deixei. Metrô onde não tinha Metrô, ponte onde não tinha ponte, etc. Onde era a farmácia tinha uma padaria, onde tinha oficina virou clínica veterinária. As manicures e as cabeleireiras dos salões do meu bairro não eram as mesmas. Eram outras pessoas que ocupavam seus lugares. Mais uma sensação de que parei no tempo por ali e a cada passo me surpreendia.

Talvez eu não me lembre de mencionar aqui tudo que me surpreendeu, mas a lição que tirei desta experiência foi que nunca devemos pensar em voltar ao nosso país de origem (seja ele qual for) com a ilusão de que tudo estará igualzinho, estático, te esperando.

Uma vez comentei com um amigo que queria muito ir embora e voltar a viver no Brasil porque sentia falta do calor humano, das praias no reveillon, das festas de Natal com a família, dos meus amigos, etc... Ele respondeu: "Volte uma vez e sinta o Brasil que você quer voltar, pois às vezes você vai se dar ao trabalho de voltar achando que vai ser melhor, vai desfazer sua casa inteira, vai gastar uma fortuna, mas não encontrará mais o Brasil que deixou. As coisas mudam muito com o tempo". E ele tinha razão. Tá, mesmo assim vou voltar de qualquer jeito porque amo o Brasil do jeitinho que ele é, mas se você mora no exterior e não tem certeza se quer voltar a viver no Brasil de novo, experiemente ir a passeio e passar uma temporada primeiro.

Outro detalhe: a nossa cabeça também muda, principalmente se passamos a morar num país de primeiro mundo.
Na minha próxima postagem, escreverei sobre o quanto mudamos o nosso comportamento e a maneira de encarar certas coisas que, muitas vezes, fazem nossos parentes no Brasil pensarem que nos transformamos em pessoas metida-a-besta ou esnobes.

Uma vez que você mora fora do Brasil, nunca mais será a mesmo. Nunca mais verá o Brasil com os mesmos olhos. As coisas por lá mudam. E a sua mente também.
Mesmo assim, vale a pena.


Assuntos relacionados:

41 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu vou ser sincero. E esse recado tem a ver com o post, mas não é pra vc não, e só um pensamento meu, viu?

Ir para um país, mesmo que seja o nosso e ficar por menos que três meses é como se fossem férias.
É diferente do dia-a-dia, ano após ano. Idem aqui, quem vem passear, tem um sentimento diferente de quem mora e trabalha, não é?
Talvez muita coisa melhorou, outras pioraram... só no dia a dia pra valer é que podemos avaliar.
Pq é gostoso voltar, rever a família, amigos, lugares. é quase uma longa festa. Depois que acaba a festa e tudo entra na rotina, complica. E o que acontece? dá depressão e a pessoa se sente com vontade de se mudar novamente, para sentir tudo aquilo que sentiu anteriormente.

Eu, do meu jeito de pensar, acho que o mais importante é não criar Pasárgadas mentais. Nem o Japão, nem o Brasil. Cada lugar tem suas coisas boas e ruins...

eu tb penso em voltar para o Brasil. Qdo não sei rs... mas como aproveito bem o que o Japão me oferece, vou voltar satisfeito, olhar pra trás e ver que curti.

bjs adorei sua reflexão!
boa semana pra vc e maridón

Claudinha Monteiro disse...

Acho que a gente nunca "volta" para lugar nenhum. Quando a gente vai embora, deixa pra trás um momento único, daquele jeito com aquelas pessoas. Se passarmos pelo mesmo lugar outra vez, o momento será outro, as pessoas serão outras, ainda que o rosto delas seja o mesmo. Mudar é o sentido da vida. Cada segundo que escrevo é exatamente isso. Um segundo. Já passou, já era, e o próximo já é outra palavra.
Tenha certeza de que um dia voce não estará voltando para o Brasil. Voce estará vindo para o Brasil numa nova fase, num outro estagio da sua caminhada, que é e sempre será pra frente.
O tempo é o senhor das diligências. O que passou, passou.
Beijos, querida, bom domingo!

• déia musso • disse...

Oi Fla´,

Acho que nunca mencionei a vc, mas meu sonho de infância é conhecer o Japão. A experiência que vc está tendo é algo maravilhoso e acredito o nosso país realmente é muito diferente e está e constante mudança.

Imagino o choque mesmo que teve em 2005, hj em dia então, vc talvez levasse um susto ainda maior.Rs...

Mas só de estar aonde vc está é um privilégio,lugar lindo em tudo, desde as paisagens até a cultura maravilhosa.

Adorei o post.

Flor, por favor, me confirma se recebeu meu e-mail tá?
Te enviei convite para 2 blogs vip´s, muito especiais...faço questão de vc por lá!

bzo

Fica com Deus

Bonequinha de Luxo disse...

Flavia Gimenez hahahaha, pois é Flávia, só quem passa muito tempo fora é capaz de sentir as diferenças, nós nos acostumamos e as mudanças são mais amenas, mas muita coisa mudou para melhor também, acho que pelo fato de morar no Japão vc tenha sentido mais, pois como vc disse, aí, as coisas não mudam muito em relação a custo de vida, para vc ter idéia qdo vou para fora de férias, ultimamente com a recessão americana, os preços estão menores, mas mesmo assim vejo um lugar diferente, falo de NY, que amo, mesmo indo aos mesmos lugares!!!Mas é assim mesmo, o tempo passa, nós amadurecemos, adquirimos novos valores, o que nos tornam mais exigentes!!!É isso , falei demais, bjs, Va

Cafofo da Fran disse...

Oi Flávia..
Adorei seu post... Sabe isso vale tbm para quem muda de estado... Eu não sai do Brasil, mas sai do RS e estou morando no RJ a dois anos e em dois anos muitas coisas mudaram em meu estado tbm... Sintia muita falta de lá das pessoas, dos lugares, mas qnd fui passear eu vi q muita coisa tinha mudado, minhas amigas mudaram, a cidade já não é mais a mesma... Se algum dia eu tiver a oportunidade de voltar, com certeza voltarei pq amo meu estado, mas eu queria que ele estivesse do msm jeitinho d qnd eu sai de lá... Mas isso é impossivel... Minhas amigas criaram outros vínculos tbm, não q tenham me esquecido, mas pq estamos longe.... Bom me identifiquei mt com seu post mas na mudança de estado para estado...
Bjokas

Jane disse...

Oi Flavia,
Gostei das suas colocaçoes e reflexao...
Acho que qd pensamos em voltar para algo que deixamos a um tempo... É bom ter em mente que as coisas não serão como eram antes... Pq nada é estático, tudo está em constante movimento... Nós já não seremos os mesmos e as outras pessoas de antes certamente tb não serão...
Assim é a vida.

Bjs,
Otima semana pra vc e o marido!

andreia inoue disse...

ola flavia,
adorei o seu post,suas reflexoes,me ajudaram muito a me preparar para encarar as mudancas quando eu voltar,falta pouquinho,beijaooo.

Trocando ideias - Espaço Mulher disse...

Nossa Flávia, vc tem razão! Como as coisas mudam e muitas vezes não percebemos!
Aqui no Brasil, muitas coisas mudaram, porém muitas outras estão estagnadas e sem previsão de melhoras!
Imagino como deve ser diferente uma vida no primeiro mundo!
Por falar nisso, tenho um espaço lá no blog, onde as minhas leitoras expõe suas experiências....vc podia falar um pouquinho sobre sua experiência de vida em outro país...se te interessar me avisa que te explico melhor!
Bjksss
Dani

Jorge Sader Filho disse...

Flavia, você tem razão!
Mas acho que não precisa sair do país para ver as mudanças. Basta ter boa memória. Você veio em 2005. Eu lembro que mudaram muitas coisas, na minha cidade. Farmácias. Parece que Niterói é uma cidade de doentes, tem uma em cada esquina. E com movimento...

Carinho,
Jorge

Paula Li disse...

Oi Flavinha, passei só para deixar um beijinho.
Vou tentar tirar uma soneca agora a tarde para repor as energias.
Estou me sentindo no "bagaço".
Tudo de bom.

Sandra Portugal disse...

Oi estou visitando seu blog pela primeira vez e adorei, tanto o seu estilo, quanto o visual do blog. Parabéns! Tenho muitos amigos e parentes morando fora do Brasil e todos, nao importa há quanto tempo estão fora, quando retornam relatam exatamente o que você sentiu...Mas assim é a vida...tudo muda, até mesmo nós mesmos, nossas expectativas e nosso senso de prioridades e de observação. Tudo de bom! Sandra P http://projetandopessoas.blogspot.com//

Monike disse...

:***************

K∂riиє* Smith. disse...

Compartilho da mesma opinião e olha que nunca fiquei tanto tempo sem voltar.
O preço das coisas pra mim foi o mais chocante

Hoje me admiro com as coisas que não mudaram.

HEIDY MULHER QUE AMA disse...

Flávia amiga!!!
Nem precisa mudar de país,eu morava em Sampa,Santo André,fui morar no M.T.,8 anos,decidimos voltar para Sampa.
Tudo mudou com certeza,pois nas cidades que não são tão desenvolvidas,ainda existe fraternidade,
humildade,preocupação com o próximo.
Não importa o país importa o calor humano.
Onde cada um de nós estiver nesse planeta,o importante é a solidariedade.
Bjsssssssssss
E parabéns de novo por mais esse texto,vc consegue cativar a nossa imaginação sempre!!!

Nutri Bobagens disse...

Passei 4 meses nos EUA e qdo voltei estranhava tudo, seu próximo post vai sre mais a minha cara rs.

Carla Pinheiro disse...

Flavia

Mesmo assim aki ainda é o melhor lugar para se viver...
Agora se qdo vc foi embora o sato da Jorge Alex era 39 e em 2005 foi pra 69... amiga... prepara o coração e o bolso pq agora chegou nos 200 reais... ui!

beijos

jefhcardoso disse...

Que legal essa transformação que sofreram os super mercados diante do seu olhar. Celulares dos amigos desligados. Viver em um lugar onde não há inflação é algo utópico para quem sempre viveu sob a inflação. Não consigo nem imaginar direito.
Flávia, não sei se você quis, mas passou uma impressão tão futurista em seu relato. É tão rico, mesmo você querendo abreviar.
Parabéns pela clareza com que pensa, e com que narra. Abraço,e prazer em ler o seu texto!

Quero aproveitar e lhe convidar para ler “É Primavera” no meu http://jefhcardoso.blogspot.com Será um prazer lhe receber.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Cae Fernandes disse...

Oi Flávia! Ontem à noite assisti ao filme que vc recomendou..."O Sabor de uma Paixão"...adorei! Pensei tanto em você e sua história e hoje entro aqui e leio esse post...Imagino que vc tenha sofrido grandes e permanentes mudanças ... acho que nunca vc poderia ver o Brasil da mesma forma...esse filme me ajudou muito a entender isso! Beijinhos.
Cae

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

OI Flávia! com certeza tudo mudou muito e quando vc voltar da próxima vez vai com certeza sentir mais mudanças!
beijocas,
Mari.

KINHA disse...

Olá amiga

Seu relato foi sensacional. Vou colocar seu blog em minha galeria de blogs.
Vim agradecer sus visita e comentário.
Adorei seu blog e já estou te seguindo.
Aproveito para pedir um favor, meu blog está concorrendo ao premio TopBlog e ficaria muito feliz de poder contar com seu voto. é só clicar no selo na barra lateral do blog e preencher os dados de votacào. Depois é só confirmar o voto em se email, obrigada.

Bjo

Gisley Scott disse...

Flavis,

eu ainda nem voltei, mas só pelo que ouço, já noto uma diferença, rs...Imagina quando eu voltar,como é que vai ser o choque,rs....

Já estou me preparando...

Bjos!

Tatiana disse...

Como você disse Flavia, já não vejo o Brasil com os olhos que via antes!
Normalmente não comento isso, porque sei que vou ser vista como esnobe e me da preguiça de explicar.
Você conseguiu colocar muito bem o que alguns que vivem fora sentem quando voltam ao Brasil, eu nem ia comentar nada de tantas coisas que tenho a dizer sobre isso..rs,então para nao escrever um gigantesco comentário, usei essa frase no inicio que você colocou para resumir o que sinto!!!
Beijocas!!

Paty Chuchu disse...

Meu Deus,como me identifiquei agora lendo seu post,apesar de entender os rotulos daqui tb,mas so a variedade,a feira brasileira,nossa,pareco ate uma caipira na cidade grande.Vc tem toda a razao sem contar que qdo voltamos os pequeninos da familia,primos,primas e etc estao tudo grandao e as vezes sao maes e pais..Fico pensando nossa qta mudanca e eu perdi tudo isso ..mas sinto muita emocao assim que piso em territorio brasileiro e uma coisa tenho certeza que se depender de mim nao mudara nunca:"qdo chego no aeroporto internacional de guarulhos,depois de pegar as malas ,a minha primeira paradinha e uma lanchonete ali no aeroporto mesmo ,peco um suco e um salgadinho bem brasileiro",pra mim e tradicao,e , minha familia adoram kkk.beijinhos

Flávia Shiroma disse...

Meninas e meninos!!
Estou fascinada com cada comentário! É tão difícil abreviar tantos anos e tantas impressões em apenas algumas linhas de uma postagem e sinto que consegui passar a minha mensagem.
Vocês são amigos muito carinhosos!
Agora vou retribuir cada visitinha que recebi hoje!
Um beijo no coração de vocês!
;)

Rejane disse...

Bom Dia,
primeiro quero agradecer o carinho no meu blog e dizer que já estou lhe seguindo também.
Adorei seu blog e suas reflexões, fiquei pasma..rs
Òtima semana
Beijos

A Noiva disse...

Oi Fá...

É verdade que nunca encontramos as coisas como as deixamos, e não precisa nem se mudar para outro país, mude cidade mesmo e quando retornar para sua cidade natal perceberá que tudo mudou e aquela cidade ficará apenas na sua lembrança...

beijos

Glamour Eterno disse...

Flavinha querida, vi seu comentário no blog EU MESMA, te adoro muitão e quem sabe um dia agente se conhece hem?
Bom esse seu relato é muito bacana, vc sabe que eu sou de uma pequena cidade no interior de alagoas, sempre fico uns 5 anos sem ir lá, e quando vou está tudo diferente, mudado.
é assim mesmo as coisas mudam.

Bj no ♥

Glamour Eterno disse...

Ha Flavia, o rapaz me observando na foto é o cabeleiro do salão que eu trabalho srsrrsrs.
bjuss

Cris: Diário ON Line disse...

Flá ...Poxa, imagino que deve ser uma loucura mesmO, pq eu mudando de estado ja noto a diferença imagina vc mudando de País.... mas enfim, no final vale a pena neh...... pelo menos espero que sim! .... Fla, então sobre o correio, poxa a colega q inventou isso...ta passando por uns probleminhas...e aí não fizemos nada em relação por enquanto... mas assim.... dah pra gente trocar entre a gente neh...se vc quiser mando o meu end pra vcs...e assim q ela estiver numa boa.... ela entra na jornada tb.... Aí vc e a Li que sabem...pq assim eu não faço ideia de como vai funcionar eu apenas escolhi minhas preferidas ...e ela não sei qm escolherá... então sobre o correio do grupo tal, ela qm vai dizer... ;) enfim é isso...BeijO de luz pra vc...

Nai disse...

Oi Flá,
As coisas mudam numa velocidade, além da mudança interna, pois a Flávia que foi para o japão não é a mesma que voltou.
Mesmo que um dia volte a morar aqui, vai sentir saudades daí, porque uma metade sua também vai ficar.

super beijus

Chá de Melancia disse...

Oi Fla! gostei mto do post e de sua visita!!

grande bjo!

Ka

disse...

Eu nunca saí do Brasil e sinto as mudanças que acontecem de forma mais discreta. Mas imagino o choque que tomaste mesmo ao voltar.
Principalmente em relaçao aos preços... rsrsrs
Quem disse que nao existe mais inflaçao por aqui??????
E tudo o mais
As coisas, mudam, as pessoas mudam, a vida muda.
É amadurecimento.
É o circulo da vida!
Beijoss

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Eu admiro quem sai do Brasil e fica anos fora. Eu fui e não consegui, voltei correndo.

JC

Vanessa Sagossi disse...

Oi, Flávia!
Adorei.
É a mesma coisa quando você fica um tempo sem ver uma pessoa, ela munda. Ainda mais se for uma criança.
As coisas mudam o tempo todo.
Beijos,
Vanessa Sagossi
comentandoofilme.blogspot.com

♥ Erika Saab disse...

Eu amei o seu post, simples e muito profundo ao mesmo tempo, do jeito que eu gosto, aliás, quanto mais o tempo passa e leio o seu blog mais descubro afinidades com você, o jeito de pensar, de escrever, de encarar o mundo, será a nossa formação de psicóloga? rs Olha isso que você falou é a mais pura verdade, as coisas aqui mudam rápido mesmo, umas para melhor, outras para pior, claro, e também mudam muito de uma região para outra, são muitos Brasils dentro de um só, não é? Eu que moro no mesmo país só mudei de região, toda vez que retorno no final do ano para visitar os amigos e parenetes acho tanta coisa diferente, imagina quem foi para o outro lado do mundo. Mas uma coisa que você disse acho que faz parte do sentimento de todo mundo que foi morar fora, é aquele sentimento de "estar em casa", de entender como tudo funciona (ou não funciona), entender todas as piadas rs...sem dúvida que uma vez morando no exterior você deve ter mudado muito, deve ter ficado mais exigente, deve ter uma mente mais aberta e dar menos valor a coisas que parecem vitais para quem nunca saiu de solo nacional (não só coisas materiais)e acho que isso é muito bom, com certeza as pessoas daqui também vão enxergar essa diferença em você! Beijos

Fernanda Caldas disse...

Fla, adorei o post de hoje. Se prepara para a proxima visita, pois os rumos que a gente tomando... Bjos, Nanda / http://ararafashion.blogspot.com

Satie disse...

Voce ja ouviu a frase "O Brasil é uma merda, mas é maravilhoso. Aqui é maravilhoso, mas é uma merda!" ?! (ai, desculpa os palavrões) e "Aqui" seria qualquer lugar no mundo.

Eu digo sempre que se eu pudesse juntar o melhor dos 2 mundos eu seria a pessoa mais feliz do planeta! Traria meus amigos e familia pra morar aqui + tudo que eu sinto falta do Brasil. Claro que funcionando como tudo funciona no japao rs ou seja o mundo ideal da Satie rs

Mas essa é a essência, sempre que se mora fora de casa, mesmo que essa casa seja temporária, você sentira falta de algo de la, e quando retornar, sentira falta daqui.

Muitas vezes criamos um sentimento vinculado a uma lembrança, sabe o "eu era feliz e não sabia"? e enchemos de expectativa, o que acaba em frustracao ne? O mundo muda, a economia muda, as pessoas mudam graças a Deus!
Ingenuos somos nos de achar que tudo sempre estará como deixamos. Por isso acho importante conseguirmos amar o lugar que estamos, e VIVER independente de onde estamos.
bjks e tenha uma otima semana!!

Manias de Benetti disse...

Putz, é complicado né?
Imagino o que voce passou...bom, se precisar de algo, estamos aqui, certO?

;*
Marina

Isabelita Fradique disse...

É fogo mesmo, infelismente tudo muda e parece que aqui é pra pior =/

bjus!!

Flávia Shiroma disse...

Meninas, não páro de me surpreender com tantos pontos de vista diferentes sob um mesmo tema. Vocês são demais!

Adorei a frase da Satie:
"O Brasil é uma merda, mas é maravilhoso. Aqui é maravilhoso, mas é uma merda!" e "Aqui" seria qualquer lugar no mundo.

A Erika mencionou os vários "Brasis" que temos em um só. Cada região muda diferentemente uma da outra.

A gracinha da Benetti disse que posso contar com ela lá no Brasil! Olha que sou cara de pau hein! rsrs...obrigada!

O JC disse que saiu do Brasil por pouco tempo e voltou correndo! rs

A querida Nai disse que sentirei falta daqui quando chegar no Japão porque uma parte de mim já está aqui. Profundo e reflexivo Nai!

E por aí vai....
Tantos comentários que me ajudam.....
Vocês não fazem idéia!!!!
E continuo visitando vocês retribuindo cada carinho viu?
Beijão

;)

Paty Chuchu disse...

Oi Flavia,vc nao vai acreditar mas tive que voltar aqui ,depois de ler sua ultima postagem.kkk esse foi meu primeiro comentario aqui no seu blog e nao e´ que me esqueci de me apresentar (buaa fui mal educada,mas tai a prova de que nao fiz propaganda kkk) perdao querida kkk foi erro de principiante e claro empolgacao..beijinhos e nao me chama de louca ta?kkkkkk