21 de ago de 2010

Amizade por interesse

É muito triste a gente descobrir que algumas pessoas só se aproximaram da gente por interesse. Explico.
De 2008 a 2010 trabalhei numa emissora brasileira de tv no Japão e, como vocês já devem imaginar, quando estamos ativos nesse meio, conhecemos muita gente.


Querendo ou não, rola uma amizade aqui e ali. Até aí tudo bem... fiz amizades... combinávamos de sair... beijinho pra cá... minha linda pra lá... altas fotos juntas, etc....

A maior parte dos assuntos que essas pessoas (mulheres na maioria) tinham comigo tratava-se da dificuldade de se fazer amizade, do quanto precisavam de amigos de verdade e muitos outros temas sempre relacionados à carência de amigos.

Como também sentia essa carência no Japão, é claro que caí como um patinho na conversa de algumas dessas "amigas" e, até descobrir que eram interesseiras, me abria, desabafava, fazia indicações profissionais e as apresentava a pessoas que pudessem ajudá-las de alguma forma. Tudo por acreditar na boa fé da amizade.

Como descobri que não eram minhas amigas??
Oras..... não é muito difícil saber.
Simplesmente porque me afastei da tv e comecei a trabalhar em fábrica.
No Japão, se você não domina o idioma japonês, o mercado de trabalho torna-se muito restrito, então não me sobrou muitas opções, a não ser a fábrica onde faço kensa ou checagem de fios elétricos automotivos.
Foi uma opção minha e do meu marido. Não estávamos mais satisfeitos com as ofertas do mercado de trabalho brasileiro aqui e decidimos virar a mesa.
O que aconteceu?
Todos sumiram. Mas, essa não é a pior parte!

Hoje, quase um ano depois, recebo o telefonema de uma amiga "maria-televisão" toda simpática dizendo que não tinha me ligado antes porque estava sem tempo! Mas, que me adorava e me admirava muito.

Detalhe: daqui a 15 dias vai acontecer um mega evento na cidade onde moro e as minhas "amigas" já quiseram garantir seu lugar ao sol!!!
O meu marido é um dos diretores deste evento e, mesmo na fábrica, ele continua mexendo com produção de shows, etc.

Como ela não percebe que isso é feio? Se aproximar de uma pessoa e ficar toda melosa ao telefone só para conseguir algo em troca é humilhante para ela mesma, mas ela não vê.

Nesses últimos dias que antecedem o show, gente assim é o que não vai faltar! Infelizmente.
Fico imaginando como deve ser a vida dessas celebridades famosíssimas, como esses artistas devem sofrer por nunca saberem se a amizade que têm é verdadeira ou não. A gente vê tanto relato de artistas que estão afastados da mídia reclamando que seus "amigos" se foram!....

Recentemente, recebi um convite para enviar meu material em vídeo para a produção de uma outra emissora, mas dessa vez no Brasil. Claro que, de cara, fiquei feliz, mas não enviei o material e pedi desculpas. Não sei ainda se quero isso pra mim de novo. Já conheço como é ser uma pessoa conhecida, com é ter a minha imagem exposta e não curti muito "o depois".

O "durante" é legal, todos à sua volta te convidando para tudo quanto é festa, um monte de recadinhos no Orkut e Facebook, bajulações e presentinhos. Mas, quando você se afasta, tudo se transforma, parece mágica. Nenhum telefonema, nada de convite, nada de presentinhos e muitas decepções.

Acredito que quem não tem uma cabeça legal, pira. Mas, como esse lance de super exposição não subiu à minha cabeça, então não sofri tanto!! Mas, o que me chateia é ver o descaramento de algumas maria-interesseiras! Por educação, não falo nada e converso no mesmo nível de falsidade: "E aí amiga!!! Tudo bem linda?" kkkkk..... que feio!

Claro que têm exceções! Fiz verdadeiras amizades sim. Mas, essas minhas verdadeiras amigas saberão de quem estou falando.

Trabalhar em televisão é muito gratificante, aprendemos muita coisa legal, viajei bastante, conquistei um currículo incrível, trabalhei com uma equipe espetacular, mas o preço que se paga é alto. Agora em diante, se eu voltar a trabalhar com isso, tomarei mais cuidado, se é que isso é possível. É tão triste não poder confiar nas pessoas....


Leia também:
Flavia Shiroma e Edu Guedes no Palco
Kelly Key no Japão
Entrevista com Rickson Gracie

26 comentários:

Eli disse...

Nossa, primeirona!rs.
Flávia, passei por isso...Trabalho no escritório de uma pqna empreiteira daqui. Vim de Gunma e não conhecia ninguém em Gifu. Senti na época que isso acontecia, pois mta gente q mal conhecia, me cumprimentava etc e tal.
No meu caso, acho que foi paranóia, pq eu não queria ser usada para q alcançassem privilégios ou ficassem reclamando coisas q estariam fora de minha alçada resolver.
Mas já superei isso e até tiro proveito!rsrs.
Estou começando um negocinho de vendas, e ser conhecida vai me ajudar bastante.
Não se chateie, que boas amizades são peneiradas e só você poderá dizer que vale a pena!

Em tempo: Obrigada pelos coments no meu pqno blog!!! O templante achei por sua indicação aqui no blog. rs. E o esmalte azul...rsrsrs.

bjos e se cuide!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Putz, que triste isso. Eu trabalhei mto tempo em escritório aqui. E te digo, se o trampo era bom, o ambiente... era o pior do mundo.dava depressão. agora no hospital me sinto nas nuvens. a maioria é japa, cada um na sua e a coisa vai bem.

Trabalhei mto tempo em tv. Mas no Brasil, na Manchete. Como lá era uma tv "f*d*da rs... então todo mundo era unido, não dava nem pra ter ego, pq a gente nem recebia nosso salário em dia.

Aqui o pessoal, por trabalhar fora da fábrica, se acha demais. Se sente a elite do mundo. E soltam o pior de si. Dá nojo, de verdade.

Aposto q vc deve ficar mais cansada fisicamente. Mas bem mais tranquila em sua mente, não é?

Off- eu tb estudei psicologia! Em SP,na São Marcos! Que legal! então vc me entende rs.

bjs e bom fim de semana pra vc e maridão

Pri Kiguti disse...

Poxa...
Me sinto tão boba, pq um dia conversamos sobre isso e falei que ainda tinha esperanças, não é?!
Falei tb sobre o assunto pro Billy, ele disse que são "Ossos do Ofício" e que é o que mais tem!
Mas, tive o prazer de te conhecer depois da sua passagem pela TV, torceria pelo seu sucesso nesse ramo caso desejasse, pois vc é muito talentosa!
[E seria uma maneira de continuar te vendo, né?! Hehehe!]
Se surgir uma boa oportunidade e se desejar voltar para as telinhas, não se sinta intimidada por esse tipo de gente!
Você é muito mais!
Beijokas!
:)

Greyce disse...

Aff tem gente pra tudo nesse mundo mesmo, não é, Flavia? Eu tb sou um para-raios de pessoas assim. Vc nem imagina o quanto de "amiguinhos" surgiram me medindo ajuda pra escrever projeto e ter contato com meu orientador do mestrado. Engraçado que na época da minha graduaçao eles nem me perguntavam se eu ia bem...
Menina, como vc é chic! Ja foi até apresentadora?! Beijinhos e bom fim de semana.

Tadachi disse...

Eh verdade, primeiramente Olaaa Flavia hauhauhau eh o Tadachii! ^^
Bom eu tambem atualmente estou trabalhando fora das fabricas, mas ate ano passado soh tive experiencias em fabricas e sao coisas nas quais estao me ajudando muito atualmente, tanto em relacionamentos com pessoas, como o conhecimento das dificuldades que uma familia estrangeira aqui no japao pode passar.
Sempre me pergunto se o que estou fazendo ou dizendo nao irah me prejudicar como pessoa, pois manter um relacionamento agradavel com todos acredito ser realmente muito bom. Mas sempre havera conflitos de ideias e culturas pois cada um vem de um berco diferente e isso eh inevitavel. Se der eu dou uma passada no chat do "coisas de mulher" ta? bjos e depois me ensina algumas coisas sobre o blogg tambem rsss!

Flávia Shiroma disse...

Eli,
É verdade, nunca pensei em tirar proveito. Já que essas certas pessoas se aproximam por interesse, eu também deveria aproveitar e tirar proveito do que elas poderiam me oferecer não é? Mas, aí fico pensando.... eu não estaria me igualando a elas?

***

Alexandre,
è incrível como a convivência com os japoneses, na maioria das vezes, pode ser tão pacífica. Isso porque eles são na deles, não ficam medindo ninguém e, inclusive, nem são muito de fazer amizades como nós, que já vamos abrindo nossa vida inteira. Seu comentário foi muito importante.

***

Greyce,
Não, ninguém quer saber se estamos bem, a não ser que haja um interesse por trás. E sabe o que acaba acontecendo??? Nos tornamos pessoas injustas com aquelas que têm boas intenções conosco. Isso porque sem querer generalizamos todo mundo. Difícil né?

***

Tadashi!,
Que prazer recebê-lo por aqui garoto!!!! Adorei! E nossa, realmente nunca conseguiremos agradar a todos. Isso que vc disse sobre virmos de berços diferentes influencia bastante nisso tudo. Bjs querido e volte semore.

***

Pri,
Quanto a esse lance de esperança é muito relativo. Não queremos nos machucar e nos defendemos da decepção nos fechando. Acho que a esperança não deve ser perdida, mas a cautela deve prevalecer. Valeu pelo comentário linda!

Eli disse...

Flávia, acho que no meu caso eu não deixava brecha para essas pessoas entrarem, entende? É diferente de quando agente abre o coração e se sente usada depois. Hoje cuido para que não aconteça da pessoa achar que vou resolver o caso dela, ou que meu ¨status¨ possa ser usado com esse intuito. Tiro proveito no bom sentido, de mostrar oque realmente tenho a oferecer, do esforço que faço para ter oque tenho. Não de usar a pessoa quando tenho interesse e descartar. Aliás, existem pessoas que é melhor ficar bem longe, ne?rs. E fazer a mesma coisa que a outra faz e você odeia, não será sincera consigo mesma.

Obrigada pelo coment lá! Tem noite que de dia é assim mesmo.rsrsrs.
bjos e bom final de semana!

Claudinha Monteiro disse...

Nossa, amizade por interesse é horrível. Graças a Deus, nunca me senti usada assim por ninguem. Acho que é porque nunca estive numa posição em que pudesse influenciar os interesses de qualquer pessoa. Tudo que sempre dei aos outros, profissional ou pessoalmente, dei de bom grado. Se elas estavam me usando não percebi até que fosse tarde mas também não me importa. Pessoas assim são ainda melhores quando se afastam. Levam toda negatividade com elas.
O teu post foi importante pra mim. Não sou o tipo de pessoa que está sempre alerta. Não tenho esse radar. É bom lembrar de vez em quando que existem pessoas tortas no mundo.
Bjos querida bom FDS.

Betty Gaeta disse...

OI Flavia,
Já passei por ito na vida, em menor intensidade pq não sou uma pessoa pública, mas realmente dói muito. Isto serve para ver que algumas pessoas não valem a pena.
Bjkas e um ótimo sábado para vc.

Flávia Shiroma disse...

Claudinha,
Ingenuidade demais nunca é bom, e descrença total também não é bom. O ideal é ter cautela. Bjs

Claudinha Monteiro disse...

Sim, Flavia, com certeza. Cautela sempre.
Voltei só pra dizer: amizade por interesse é só interesse. Não tem nada de amizade nisso.
Bjos querida.

Ellen * disse...

Oi Flávia.. td bem?
Olha, eu tbm estou numa fase de perseber essas coisas comigo, sempre acreditei muito nas pessoas mais a gente tem q saber que as pessoas não pensam como nós...
A gente não se conhece mais percebo q vc é uma pessoa muito bacana.. e acredite, o defeito não esta em vc, as pessoas hj em dia são assim mesmo...

um ótimo fds pra vc!
bjs

Ellen Inserilo
www.elleninserilo.com
@ellen_inserilo

Luly disse...

bahhh,infelizmente a gente aprende isso vivendo! nao tem como adivinhar nem aprender peloq os outros falam...tudo e um aprendizado,com certeza!!! mas è um horror,isso è.
eu sou pobre,e tenho amigas interesseiras,imagina se eu tivesse alguma coisa???....rsrs

andreia inoue disse...

ola flavia,
li seu texto pela manha e agora de novo,achei muito interessante.E realmente é horrivel quando nos sentimos usadas.Independente da posicao ou profissal,todos estamos sujeitos a nos depararmos com pessoas interesseiras e aproveitadoras. O legal eh que seu desabafo serve de alerta,afinal hj em dia a gente tem que tentar se proteger ao maximo, e claro,por vc ter sido uma pessoa publica,vc sentiu na pele com mais intensidade.
abracao.

Carla Koga disse...

Nossa Flavia eu nem sabia que vc tinha saido da emissora, mas certamente deve estar mais tranquila agora.
A grande verdade e que a maioria das pessoas sempre visam algum interesse, eu tbm passei por uma experiencia parecida, mas quer saber nao ligo enquanto isso aproveito meu tempo pra estudar, ser presente com minha familia, os outros que se danem que vivam a vidinha interesseira deles.
Vc e linda, meiga, e inteligente tem uma vida linda pela frente concerteza vai ser um sucesso onde quer que esteja.
beijos e muita luz!
cah

Paula Li disse...

Puxa amiga, você é tão simples que nunca imaginei que já tivesse sido celebridade rsrsrs.
Também sempre me pergunto como os artistas conseguem conviver com este tipo de "amizade", bajulação por interesse.
Realmente precisamos estar atentos a este tipo de pessoa e mesmo nós simples mortais que não estamos na mídia não podemos nos descuidar,pois sanguesuga tem em todo lugar.
Mas se você sentir vontade de voltar a apresentar programas e tiver oportunidade não se prenda por isso. Agora já sabe como é o ouro lado da fama e saberá indentificar melhor as"marias-televisão".
Adoraria assistir um programa seu, será que é possível?
bjs

Flávia Shiroma disse...

Carla querida, estou tristinha porque tento entrar no seu blog, mas não dá acesso!!
O q será q aconteceu??

Rose disse...

Olá!
Muito bacana seu blog!
Seria um prazer ter vc como amiga no meu blog:
http://rose-brytto.blogspot.com
Vivendo a fé!

♥ Erika Saab disse...

Flávia, eu adorei este post. Sou uma pessoa super desconfiada, e apesar de ser educada com as pessoas que me cercam, fazer piadas, bincar eu me considero alguém com quem é difícil de fazer amizade, não me entrego fácil, não abro coração e saio chamando de amigo rapidamente porque já vivi na pele isso que você está contando aqui. Quando comecei a atuar na área de recursos humanos e ser responsável por selecionara pessoas para as empresas apareceu um monte de "puxa-saco", todo mundo querendo me mandar currículo, da prima, do sobrinho, do cachorro, do papagaio...E até gente desaparecida do tempo do colégio, tentou se reaproximar, uma garota que tinha sido minha amiga no ginásio e que tinha sumido por 7 anos, voltou a me ligar quase que todos os dias para conseguir uma colocação, até o dia que não aguentei fui grossa e pedi para que ela não me ligasse mais. Acho que teria dificuldades para ser alguém "famosa", não gosto de gente falsa me paparicando, tem gente que se sente importante assim, eu simplismente fico muito irritada e não tenho paciência. Por isso, hoje, antes de chamar alguém de "amigo" e introduzir na minha vida, passo um bom tempo observando! Beijos

Satie disse...

Nao sabia que vc tinha trabalhado na Record!
eh que sou uma negacao em TV,
Mas nao liga pra essas pessoas, sempre existiram e sempre existirao.
Eu tenho varios "amigos" que soh me ligam qdo precisam de algo... e ai eu falo pro meu marido, "fulano, ta precisando de alguma coisa" rsrsrs
Pessoas assim agente ja sabe, nao precisa ter em casa nao, deixa passar!
bjks

Satie
http://casadasatie.blogspot.com/

Carla Koga disse...

Oi Flavia, rs...descupe eu havia fechado o blog por uns tempinhos, eu estava passando por um momento meio pesado, rs, encontrei fotos dos meus filhos num site de adoption um horror amiga!
Imagina logo eu que passei quase oito anos a espera dos meus bbs, fiquei louca!Agora estou mais tranquila abri novamente o blog mas e muito triste ver o que algumas pessoas podem fazer com as fotos da gente opor pura maldade ou inveja sei-la.Foi isso amiga agora ta aberto e vc e sempre bem vinda! Adoro vc menina!
bj

Flávia Shiroma disse...

Nossa Carlinha! Inacreditável!
Depois me manda um e-mail contando como vc descobriu, eu preciso ficar esperta também.
O que vc fez? As fotos foram tiradas?
Seu blog continua fechado!
Um bjo querida.

Minnie disse...

Querida Flávia,
Adoooro os seu textos e super me indentifico com eles.
Posso estar enganada e sendo preconceituosa, mas tenho a impressão de que aqui no Japão isso tudo rola de forma bem mais nítida e pesada. Por muito menos, muito menos mesmo, me sinto usada e rodeada de gente falsa. Tenho "amigos" que sem pudor nenhum, só me procuram para resolver pepinos e fazer "tsuyaku" (Quero deixar claro que essa não é minha profissão e nunca cobro nada por isso!). Esses meus "amigos", que me "adoram", que me "admiram", só me ligam me "convidando" para ir para hospital, médico, dentista, delegacia, imobiliária, seguradora... kkkkk!
Faço isso com o maior prazer, mas sabemos que tem gente que vive disso né? Pra que se fingir de amigo só pra economizar um pouquinho?! PELAMOR!
Quer um exemplo? Meu marido tem uma firma aqui e trabalhou quase todos os dias do feriado. Eu não ando muito bem de saúde, por isso passamos o Yassumi todo, eu e meu filho, alguns dias meu marido tbém, dias deliciosos, mas só nós. Pensa que esse povo todo que me liga durante a semana me pedindo favores e coisas lembrou de me ligar para saber se ao menos eu estava bem? Hahahahah! Meu marido fica doído por mim, por que eu frequentemente deixo de fazer as minhas coisas para ajudar os outros! Duro é que eu, bem boba, me apego fácil às pessoas e quando percebo o caráter duvidoso da pessoa, já me apeguei o suficiente para me magoar. Ultimamente, ando mais fria, distante, e vou fazendo o que posso para ajudar quem quer que seja, sem pensar em amizade. Coloco na cabeça que não vou me apegar, mas também não vou deixar meus bons princípios de lado por causa dos outros. Vou ajudando como posso, sem olhar a quem.
Conclusão: Posso dizer com muita convicção que eu NÃO TENHO amizades sólidas aqui no Japão.
Me sinto muito sozinha às vezes, mas penso sempre na máxima "Antes só do que mal acompanhada".
Você é bonita, talentosa, batalhadora e inteligente. Não tem como escapar de gente que se vale das qualidades e conquistas dos outros para se promover... Só não fique triste com essas coisas, você não merece!
Beijos!

Miss Yang disse...

kkkkkk

Eu já vi esse filme!! Já provei desse prato também e como tu, não tenho a menor vontade de repetir!!!!
Sei que sumi, mas estou na fase inércia... kkk

Mas não te esqueci viu!!! Ainda teclo na mesma pauta: Starbucks!!!!

Flávia Shiroma disse...

Muito obrigada a todos os comentários!
Hoje tive uma folguinha e estou retribuindo todos os comentários de vcs!

Um beijo queridos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

OBRIGADA POR SEMPRE ESTAREM AQUI!

Ju disse...

Isso é triste mesmo... Que bom que serviu de lição e para refletir a sua vida.... Perguntinha, vc mora no Japão?? beijos, ju