14 de jul de 2010

Venha a nós o vosso reino

Pare e comece a prestar atenção na sua reação diante de alguns fatos.
Por exemplo: um belo dia você acorda de mal humor ou com alguma preocupação na cabeça e demora algumas horas para espairecer. Certamente neste dia você não será tão simpática com seus amigos ou não estará tão comunicativa ou, na pior das hipóteses, até poderá dar uma "resposta atravessada" dependendo da sua irritação ou problema. Até aí, normal.

Agora pense no quanto você gostaria que seus amigos RELEVASSEM as suas reações e atitudes neste dia e entendessem que não é nada pessoal e que você não está bem. Seria ótimo se todos fossem tão compreensivos e lhe abrissem um lindo sorriso de graça no dia seguinte, não é mesmo?

Seria perfeito se seus colegas de trabalho pensassem: "Puxa, a Flavinha não está bem hoje, ela deve estar com algum problema, por isso está tão séria ou por isso me respondeu daquele jeito. Espero poder ajudá-la". Seria ou não seria bom??


Sempre desejamos compreensão por parte de todos, um desconto nos dias em que não estamos muito bem, mas.... na realidade, isso não acontece.
Você deve estar pensando que eu vou dizer que as pessoas são intolerantes, não querem saber de te entender, etc..... mas não vou dizer o óbvio aqui não.
O que tenho a dizer é sobre você que está lendo agora. De 10 pessoas que têm seus momentos de "chatinha", mal humor, "braveza", "respondona", etc...., quantas delas você reagiu com compreensão? Aposto que o seu primeiro impulso foi pensar: "Nossa, que grosseria! Não esperava isso dela!" ou "Caramba, pra quê falar assim. Que estúpida!". Não estou me referindo àqueles chatos e arrogantes permanentes. Concordo que existem (infelizmente) muitas pessoas intragáveis de verdade! Mas, e quanto às outras que você sabe que não são assim? Acho que podemos começar a exigir um pouco menos de compreensão só da parte dos outros e começar a treinar mais a nossa capacidade de entender o MOMENTO do outro.

Criticar é mais fácil do que tentar ajudar. Criticar é espontâneo, já temos uma crítica sempre pronta na ponta da língua a qualquer hora, mas um conselho, uma palavra certa na hora certa que ajude alguém é mais difícil. Porque será? Será que nos falta praticar?

Nunca se esqueça que se você tem o direito de não estar de bom humor um dia, seu colega tem o mesmíssimo direito. Não julgue ninguém ou deixe abalar a sua amizade por causa de um momento. Um ser humano é muito mais do que um dia de mal humor. Vamos dar um desconto.

3 comentários:

Mila disse...

Belo poste Flávia!
Devemmos tratar os outros como queremos ser tratados...
Bjs
Mila Lopes

Pri Kiguti disse...

Pra tudo eu tenho sempre uma canção!
TOCA RAUL...

" Tem dias que a gente se sente
Um pouco, talvez, menos gente
Um dia daqueles sem graça
De chuva cair na vidraça
Um dia qualquer sem pensar
Sentindo o futuro no ar
O ar, carregado sutil
Um dia de maio ou abril
Sem qualquer amigo do lado
Sozinho em silêncio calado
Com uma pergunta na alma
Por que nessa tarde tão calma
O tempo parece parado? "
[Raul Seixas]

Beijokas!

Cafofo da Fran disse...

Adorei o post...
Devemos tratar tds bem pois não sabemos o dia de amanhã
Bjus