16 de jul de 2010

Intimidade



Me lembro que quando eu e o meu marido começamos a namorar, eu tinha vergonha até de espirrar perto dele, assoar o nariz ou fazer qualquer outra coisa fora dos padrões de educação. O objetivo era me mostrar da forma mais perfeita possível. Acho que todas nós mulheres queremos mostrar o melhor nessa fase da conquista.

Banheiro? Só em último caso. Imagina se eu queria que ele soubesse que eu faço o número 2!! kkk.... nem pensar! rs... Hoje parece bobagem, mas atire a primeira pedra quem nunca agiu assim.
Sair pra jantar? Só saladinhaaaa...... sem essa de bancar o peão e fazer montanha no prato!
Hálito, só de hortelã ou Halls de cereja.
Sandália? Só as de salto alto, imagina se queremos nos passar por baixinhas!
Cabelo natural secando ao vento??? Jaméé!!!! Tudo chapado ou lindamente encaracolado.
Peitos? Com enchimento do sutiã!
Mal humor?? Nãão!!! Estou seeeempre de bom humor! kkkk
Tudo isso e muitas outras coisinhas mais que fazemos para conquistar a presa.

Maassss......
Depois de algum tempo... o que será que acontece que muitas pessoas acabam relaxando?
O sutiã com enchimento fica com cheiro de mofo no fundo da gaveta, você começa a ver toda semana aquelas cuecas esgarçadas, ele começa a soltar pum com barulho, arrota do seu lado sem o mínimo constrangimento, o deixa entrar no banheiro enquanto está se depilando, troca o absorvente na frente dele, conversam de porta aberta enquanto ele faz o número 2, etc etc etc.....


Qual será o limite do acesso à intimidade do outro?
É saudável para um relacionamento a falta de privacidade?
Expôr-se deliberadamente significa o ápice de um relacionamento sem maldades e de entrega total?
Essa tal de entrega total é sinônimo de avançar os limites do pudor e invadir com o consentimento do outro o seu espaço?

Aqui em casa a nossa intimidade e privacidade foram estabelecidas naturalmente, sem palavras ou acordos, apenas com a vivência, dia após dia. Quando ele está "se cuidando", procuro me afastar um pouco e fazer outras coisas, pois penso que além de se cuidar (tomar um banho, fazer a barba por exemplo), ele também está relaxando, curtindo um momento só dele.
Unimos nossas vidas assim que decidimos nos casar, porém acho importantíssimo sempre ter em mente que não nos tornamos UMA SÓ PESSOA como dizem os mais românticos livros de amor. Ele é ele e eu sou eu. Ele é homem e eu mulher. Temos necessidades em comum e diferentes também. Gostamos das mesmas coisas, mas de coisas diferentes também. Se ele quer sair para jogar vôlei, tento não ir por mais que ele me convide. Acho importante o casal ter essas horas de individualismo. Isso não significa que vamos agir como pessoas solteiras. Cada um deve saber os limites que seu casamento impõe e respeitar isso.

Quando eu quero ir ao shopping, ele não vai. Primeiro porque ele não teria a enoooorme paciência de entrar em tooodas as lojas e segundo porque ele sabe que é um momento meu de descontração.
É importante que, tanto o homem quanto a mulher saibam valorizar esses momentos individuais para sentirem SAUDADE um do outro, se permitirem terem NOVIDADES para contar. Pense nisso.

Mas cuidem do equilíbrio! Os momentos individuais não podem ser maiores do que os de casalzinho hein! A maioria das coisas deve ser compartilhada. Aí vai do bom senso de cada casal e do tipo de relacionamento que vocês têm.

Agora, quanto ao vídeo..... cuidado meninos!! Na minha opinião, quando chega a este ponto..... CUIDADO! kkkkkkk


Leia também:
Evite a traição no seu casamento - Parte 1
O melhor lugar do mundo é a nossa casa
Você não tem que nada!

11 comentários:

Cafofo da Fran disse...

Adorei o texto e concordo contigo temos que ter nossos momentos de privacidade!!! Cada um tem suas vontades diferentes como ir ao shopping ou jogar footbol!!!
Bjus

Pri Kiguti disse...

Eu fazia isso...
Quando era só namorada, esperava ele dormir para ir ao banheiro!
Que boba!

E acho mesmo que o sucesso de um relacionamento está em preservar a individualidade!

Parabéns pela postagem!
Amei!
:)*

Marô disse...

Nossa,nossa,noooooossaaaaaaaaa!
Adorei o post!
Não posso dizer que sou diferente e nem quero.
Sei que precisamos de individualidade,mas nem sempre acontece...
Muitos anos de convivência acabam gerando essas coisas,né?
Hoje,sem sombra de dúvidas digo que meu marido me conhece mais que ALGUMAS das minhas irmãs.
17 anos,Flá!!Quase duas décadas de casada! *\o/*
Quando voltar pro Braza vamos nos ver??
Sobre a coluna:um dos maiores erros é colocar todo peso numa perna só.Assim falou minha prof de Pilates.
Beijocas gélidas

Gisley Scott disse...

Gostei Flávia :)!

Vc já notou que até o "linguajar"muda tb? Já não é tão doce, tão meigo e educado.Daí a esposa(o) recebe visitas e quer tratar o(a) marido(mulher) bem na frente do povo...Sem condições...

Ou ainda agradece à todo mundo e faz sempre questão de que não está atrapalhando, que os outros não precisam se incomodar, mas se for o(a) esposo(a), é melhor que ele(a) pegue um foguete e traga os anéis de Saturno na velocidade da luz.

Acho que muitas pessoas esquecem que precisam manter o romance e o namoro dentro do casamento.Isso é fundamental.

Gostei muito do insight!
Bjos!
Gisley :)!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Flávia,

Essa de fazer o número "2" na frente do companheiro é de lascar. Sou muito ligada a cheiro, esse tipo de atitude me deixaria com um nojo sem fim. Tem que existir a individualidade em certos momentos, isso não é frescura, é que o amor não pode perder a magia.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Talvez com o tempo os sentimentos se aprofundem e o que era "feio" pode-se tornar até pitoresco, não é? Fica até engraçado certas atitudes das pessoas que convivemos afetivamente. O amor muda a visão de muita coisa, aceita mais a essência que a forma. Então o convívio se torna muito mais real.

Eu confesso que por mais que more junto com alguém e o tempo passe, não tenho essas "naturalidades". Continuo me preocupando com muita coisa rs... Não sei se é bobagem de minha parte, mas fico com vergonha mesmo de certas coisas... Um pouco tb é minha timidez, talvez, que entra em cena.

A individualidade, a própria personalidade sempre devem existir. Se vc se apagar, mudar seu jeito de ser e de viver pelo outro, a pessoa que um dia ele (a) amou simplesmente deixou de existir. A gente adapta umas coisas, em nome do convívio. Mas nada de apagar-se.

Bacana seu post, gostei mesmo.

Economia Doméstica e Requinte com Ana Paula disse...

Oi Fla,rsrsrs guria é assim mesmo que bobas né..
Bjs linda e bom final de semana..

Ariana disse...

Flá amei seu post, é a mais pura verdade e concord com tudo que você escreveu, acredito que tudo tem um limite e não é pq vcs se casaram que tem que expor tudo assim para o outro, a individualidade dentro de um relacionamento é essencial para dar um equilibrio positivo, mas é claro tudo tem que ser na medida certa...
Adoreiii!!!
Mil beijos

Paula Li disse...

Acho importantíssimo preservar a individualidade principalmente nestas questões de "necessidades básicas". È lógico que a intimidade acaba nos deixando mais "sem vergonhas", mas aqui em casa tentamos preservar este momento. Lembro-me de uma ocasião que o meu marido fez o "número dois" e saiu para trabalhar sem dar descarga. Ele só lembrou na rua e ficou toda hora me ligando e mandando msg que quando eu fosse usar o banheiro desse descarga antes de levantar a tampa do vaso. Conclusão, eu esqueci da recomendação,mas para não constrange-lo disse que havia feito como ele pediu.
Bjs,
post super engraçado e construtivo.

Ana Paula disse...

Nossa, não poderia concordar mais.... fiz um post hoje sobre isso no meu blog, depois que li o seu, e dei os devidos créditos de inspiração! Rs
Depois passe lá!
Bjo, adorei seu blog

Planejando Bebê disse...

Olá

Parabéns! Excelente post.

Eu concordo que certas coisas eles até podem imaginar que fazemos, mas não precisamos dar a certeza...kkk

Muitos casamentos acabam, não por isso, mas por perderem o encanto. Junta uma atitude aqui, outra alí e pronto....uma nova mulher, ou homem perfeito surge e...o resto vc sabe.