17 de abr de 2010

Planejando um filho (continuação)

"Esse texto mostra o que pode passar pela cabeça de um casal (brasileiro) quando está planejando ter um filho no Japão"
continuação da postagem do dia 15/04/2010: Planejando um filho

Isso mesmo! Diário comprado, (poucas) páginas escritas, muitas expectativa e o desejo de ser mamãe. Porém, decidimos adiar esse compromisso com uma nova vida devido a alguns fatores:

- Apesar de ter sido muito bem atendida por um médico japonês, ainda não era aquilo que eu imaginava para mim nesta fase tão importante na minha vida, ser mãe. Gostaria que um médico mais humanizado sensível me acompanhasse em todo processo da gestação. Claro que os profissionais do Japão são competentes e conheço muitas mulheres que teriam seus filhos no Japão novamente por ser muito melhor do que no Brasil (no quesito estrutura), mas para mim faltou um "que" a mais no atendimento, uma conversa, um sorriso, uma certa sensibilidade que, devido aos seus costumes, este país não nos oferece. Me assustei com a hipótese de não conseguir me comunicar adequadamente com o meu médico quando passasse por algum momento complicado. A dependência de uma outra pessoa intérprete para tudo seria péssimo para mim. Adoro minha independência e autonomia.

- Tivemos a má idéia de começar a colocar tudo na ponta do lápis. Digo "má" idéia porque, dependendo do que desejamos na vida, se planejamos e pensamos excessivamente, pode ser que mudemos de idéia. Têm coisas na vida que não podemos ficar pensando e analisando muito. Começamos a listar as despesas, móveis novos para o quarto do bebê, seguro, enxoval, hospital, poupança para casos emergenciais, etc. Além das despesas, também nos "lembramos" que eu pararia de trabalhar para cuidar do nosso filho e todos esses "cuidados" excessivos da nossa lista se transformaram em preocupação. Naquele momento repensamos tudo e decidimos que ainda não era a melhor hora de sermos pais (apesar de desejar muito um filho).

- Último e importante fator que nos convenceu definitivamente de que 2005 ainda não seria o ano em que teríamos um bebê foi o fato da nossa família não estar por perto. Imaginem só ter um bebê pela primeira vez longe das avós, dos avôs, dos primos, tios, da cachorrada, dos passarinhos, quintal, ..., pensamos (pensamos de novo, mais ainda!) que não seria justo com a criança colocá-la neste mundo de maneira tão solitária, afastada da sua própria família. Não foi isso que imaginei para mim. Decidimos que teremos nosso filho no Brasil e não mais no Japão.

Se Deus me permitisse, queria que tudo fosse perfeito: família reunida, médico da minha confiança falando o mesmo idioma que eu, planejamento (sem exageros!), amigos por perto, condições financeiras, etc.... Tudo isso SEM LISTA!!! kkk

Filhos??? Quem sabe para 2011 ou 2012..........
P.S.: O diário está guardado comigo a espera de novas páginas.

Você tem algo a comentar sobre isso?

9 comentários:

Mileine disse...

Olá querida!!Gostei do seu blog mas queria te deixar um conselho.Já se passaram 5 anos...tem coisas que a gente precisa fazer sem colocar na ponta do lápis e sabendo que o melhor lugar para um filho é ao lado dos pais,se eles tiverem isso com amor e carinho já serão felizes...E o relógio biológico existe,né?Estou grávida,tenho 29 anos e tô te dando esse "conselho"pq é uma delícia...BJSS

Flávia disse...

Querida Mileine, obrigada pelo conselho. Na verdade vivo pensando nisso, na questao super importante que voce citou: o relogio biologico. Voce tem toda razao. Quando passamos dos 30 tudo fica mais complicadinho nao? Um beijo querida.

Babi Zuza disse...

Oi Flávia, estou retribuindo a visita que fez ao meu blog.. adorei o seu tb! E vou segui-lo!!!

Quanto ao post sobre filhos, nossa é um caso a se pensar né?? Concordo com a Mileine.. o relógio biológico, ai ai ai esse relógio! Estou com 25 anos, e quando fui ao médico pela última vez, ela já veio falando sobre este assunto...
É complicado.. pois se temos 25 estamos novas.. e se passamos dos 30 pode ser que fique mais complicadinho né!!?? ...
B-jos!

Babi
www.babizuza.blogspot.com

lucas disse...

Eu tenho apenas 16 pra 17 anos e de vez em quando passa umas coisas muito doidas na minha cabeça sobre esse assunto, ter filhos.
E quando eu me faço a simples pergunta: Você pode sustentar uma familia?

Logo começo a imaginar meu heroi favorito lutando contra super-vilões.

Conclusão... EU não tenho condição e nem maturidade para assumir tal responsabilidade!

Graças a DEUS o juizo sempre esteve comigo.(pelo menos nessas duas ultimas semanas)

Andrea Guim disse...

Oi, Flávia!!!

Prazer conhecer você e a seu blog!! Obrigada pela visita lá no Blog'Arte!! Sobre filhos, já planejei e desplanejei várias vezes. Tal como você, quem sabe em 2011, 2012...
Tem sorteio lá no blog!!!
Beijins!!!

Paulo Tamburro disse...

Oi Flávia.

A comentar não, mas a fazer sem dúvida.(rs)

Desculpe, não poderia perder a piada. Vivo disso!

E ficaria honrado se você pudesse visitar meu blog de humor: HUMOR EM TEXTO.

Os outros dois são: "FOTOFALADA" e "COMO ERA FÁCIL FAZER SEXO"

Fique tranquila, pois em nenhum deles encontrarás pornogarfia ou palavras chulas.

Nossos seguidores, são uma grande família de 800 amigos, amigas e alunos.

Um abração carioca.

L & R disse...

Oi Flávia.
Acompanho seu blog à algum tempo e sempre adoro suas postagens.
Conheço seu trabalho.Já vi o seu programa na Record Internacional (quando fui ao Japão no final do ano passado) e ouvi seu programa na Rádio há varios anos (quando também fui ao Jãpão).Ter filhos.É uma situação complicada.Estou casada há 8 anos e não me sinto preparada para ser mãe.Ter filhos é ter responsabilidades! Eu já tenho 36 anos e acho que ainda não estou preparada para ter filhos.Tem sim isso:Relógio biológico.Mas se você não se sentir prepara por que não adiar mais um pouquinho? Só tenha filhos se estiver praparada.E se você demorar demais e resolver ter filhos depois dos 40 anos e for difícl de ter filhos,saiba que Deus escreve certo por linhas tortas.Se Deus achar e você também achar que está na hora de ter um baby...é só partir pro abraço rs...Enfim,espero que tenha entendido! Beijos à todos os Brasileiros que moram no Japão,e um beijo especial à você!

Abraços.

OBS:Ah,este blog não é meu,é da minha sobrinha Rayane

By:Juliana A.

Flávia disse...

Querida Juliana. Sua postagem foi muito importante para mim. Por mais que saibamos que milhares de mulheres ainda não estão totalmente prontas para serem mães após os 35, às vezes parece que esta é uma questão só nossa, individual. Então, vêm pessoas como você e nos ajudam a lembrar que outras mulheres que nem conhecemos também sentem as mesmas coisas que (eu) nós. Seja muito bem vinda ao meu blog sempre que quiser, minha querida. Adorei saber que tenho uma amiga e leitora direto do Brasil!! Um grande abraço!!!!
PS.: Também acredito muito na vontade de Deus. Quando Ele achar que é a hora, não há quem faça ser diferente.
Um beijo!!

Carla Koga disse...

Oi Flávia,
Que díficil decisão não é mesmo?Como te contei eu e o Edu demoramos oito anos, e hj temos os gêmeos, eu acho que na hora certa tudo acontece, eu passei anos ansiosa, me sentia preparada mas o bebê não vinha, foram anos de tratamentos, 3 FIV, varias perdas, finalmente quando tive minha bebê ela faleceu em meus braços, minha vida estava acabada, meu mundo acabou naquele momento. E dois meses e meio depois de toda essa tragédia vieram os gêmeos!
O que quero dizer é que planejar é bom, mas as vezes as coisas acontecem na hora em que é permitida por Deus, e tudo sai tão perfeito que nem com todo planejamento do mundo conseguiriamos fazer igual.
No momento certo independente da idade, vai acontecer e vai ser lindo, incomparável, vc vai ver!
Bjs