26 de fev de 2010

Valorize as suas conquistas

Ultimamente venho notando muitas pessoas reclamando de tudo: da esposa, do marido, do emprego, do salário, da economia, dos filhos, do carro, do vizinho e de tudo mais que vocês podem imaginar. Mas, pensando bem, será que muitas dessas reclamações não poderiam ser evitadas?

Darei um exemplo prático à vocês.
Durante nove meses passei pela experiência de trabalhar em fábrica no Japão. Me lembro como se fosse hoje o dia em que recebi a notícia de que havia conseguido uma vaga para trabalhar em uma fábrica de autopeças. Fiquei muito feliz, mas muito muito feliz mesmo porque naquele momento era o que eu mais queria. Estava decidida a voltar para o Brasil com uma graninha no bolso e só a fábrica poderia me ajudar nesse sentido. Por isso vibrei e comecei a trabalhar super feliz, afinal de contas, poderia finalmente juntar uns troquinhos e ir embora mais rápido para o meu país.

Apesar do meu extremo cansaço físico (trabalhava 10 horas em pé sem sair do lugar, de segunda a sábado), estava feliz e, por incrível que pareça, gostando! Mas, essa alegria toda durou um mês. No segundo mês já não aguentava mais as dores nas pernas e nas costas, eu trabalhava duas semanas das 8 às 19hs e duas semanas das 20 às 6hs., até que um dia eu me toquei que estava me transformando em uma reclamona! Reclamava para acordar cedo, acordava atrasada e saía correndo, reclamava quando o chefe me pedia para fazer horas extras, reclamava para trabalhar aos domingos, reclamava do meu almoço, enfim, reclamava de tudo.

Num belo dia, fazendo uma autoanálise (sempre faço isso) percebi que o que havia me transformado em uma reclamona insatisfeita era a minha falta de memória. Eu estava tão cansada na época da fábrica que nem me lembrava mais do meu entusiasmo do início, do quanto quis estar ali um dia e quão feliz fiquei ao conquistar a vaga. Só pensava no cansaço. Foi então que resolvi pensar diferente e fui condicionando a minha mente a relembrar da minha alegria e o meu objetivo todas as vezes que pensava em reclamar: "Não, eu não vou reclamar de cansaço porque eu quis muito estar aqui e hoje devo valorizar a minha conquista e não ficar reclamando" e seguia em frente.... sem reclamar!
Nesse sentido, utilizar a minha memória de maneira correta me ajudou.

Nunca podemos nos esquecer do porque estamos em algum lugar fazendo alguma coisa porque se isso acontecer você não verá mais sentido em nada, tudo ficará chato e a sua vida, entediante.

Isso também se aplica às mães que maltratam seus filhos. Elas se esquecem que um dia desejaram muito aquele filho, esquecem da felicidade infinita que sentiram no dia do seu nascimento e não se esforçam para resgatar aquele sentimento do início de tudo. É como se o filho deixasse de ser uma novidade na vida dela.

Os casais também devem tomar o mesmo cuidado e não se esquecerem do amor que os uniu, daquela ansiedade gostosa que sentiam no começo do namoro, da felicidade em saber que o companheiro estava sendo conquistado, enfim, não tratar a pessoa que divide a vida com você como alguém que perdeu a graça. Valorize a sua conquista sempre.


Todas as vezes que pensar em reclamar ou sentir-se enjoado de alguma coisa ou alguém, respire, se concentre e lembre-se do seu sentimento quando lutou e conquistou. Isso é fundamental para vivermos melhor, afinal vivemos num mundo onde as pessoas conquistam o que querem e depois enjoam, sentem que perdeu a graça, a novidade. Quando pensar em reclamar do seu emprego, lembre-se do dia em que você foi pedir a vaga e, durante a entrevista, fez de tudo para mostrar seu melhor a fim de ser escolhido. E agora? Não quer mais? Porque? Está na hora de mudar realmente ou você está sem objetivos definidos?

Use sua memória, valorize as suas conquistas e evite reclamar.

Nenhum comentário: